AS VIVÊNCIAS DO SEGUNDO PROFESSOR

Gabriele Lima da Rosa Muniz, Kely Cristina Mattos Nunes, Yasmim Luana Giacomozzi, Tatiane Costa Chaves, Mara Shirley Rossi

Resumo


Hoje no Brasil milhares de pessoas com algum tipo de deficiência são discriminadas em suas comunidades e excluídas do mercado de trabalho. Face a todas estas dificuldades, e tendo em conta que vive-se em um mundo dominado pela tecnologia, onde todos recebem informações a todo o momento sobre inclusão, não discriminação, entre outros, o preconceito ainda está presente. Tendo em vista que o profissional Segundo Professor, através de todos seus componentes é parte integrante do processo de educação dos estudantes com deficiência, sendo responsável pela sua formação e socialização, devendo se envolver com questões práticas e pedagógicas, já que a sua principal função é contribuir para a formação de cidadãos conscientes, críticos e independentes capazes para decidirem e atuarem no contexto em que estão inseridos. O Segundo Professor deve assumir uma ampla dimensão e autonomia para decidir sobre atividades a serem trabalhadas com estudantes deficientes, assim como o Professor de regência, podendo atender com mais qualidade as especificidades de tais estudantes. Contudo, a contribuição do Segundo Professor para a formação dos alunos com deficiência, é voltada a necessidade desse aluno, sem precisar se preocupar com as demais exigências da sala de aula, ele auxilia no cuidado, e no aprendizado do aluno que com sua ajuda pode atingir os mesmos conhecimentos que os demais de sua turma, de forma mais clara e objetiva e possa compreender o que é ensinado. Os objetivos desta pesquisa são: Conhecer as práticas e o embasamento teórico utilizados em sala de aula pelo Segundo Professor, no sentido de perceber a sua contribuição para formação dos alunos com deficiência; descrever a prática e a fundamentação teórica utilizada pelo profissional que atua junto aos alunos com deficiência; analisar as implicações que a presença do Segundo Professor em sala de aula causa aos estudantes que não apresentam deficiência; Saber se o segundo professor auxilia no desenvolvimento cognitivo e social dos alunos com deficiência; Verificar se o segundo professor desenvolve atividades que vão ao encontro das necessidades dos alunos com deficiência; averiguar quais recursos didáticos são utilizados. A finalidade deste projeto é básica, pois tem como objetivo a construção de conhecimentos fundamentais a partir dos diferentes objetos ou fenômenos. Com os objetivos que tratam- se de uma pesquisa descritiva, geralmente essas empregam instrumentos e técnicas padronizadas, tais como: observações sistemáticas e questionários. Quanto aos procedimentos são bibliográficos e de levantamento de dados Sua natureza é quantiqualitativa e será aplicado um questionário a quatro professores, sendo dois regentes da turma e os demais segundo professor. O local de aplicação do questionário, será feita em uma escola de Educação Básica. Os dados serão organizados em gráficos no Microsoft Excel.

Palavras-chave


Segundo professor, Deficiência, Desenvolvimento.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC