CONTROLE PATRIMONIAL

Elisandro Vieira, Rafael Peletti, Kelli Aparecida Gotardo

Resumo


Introdução


O controle patrimonial representa o gerenciamento de patrimônio da empresa, além da identificação e catalogação de todos os bens disponíveis e verificação do preço atual de cada um deles, quando a empresa faz o controle patrimonial correto dos seus bens, produz estatísticas e balanços muito mais precisos, permitindo que o profissional de administração tome decisões mais acertadas. Propôs-se com esse trabalho o estudo e a aplicação de métodos e ferramentas, baseados na metodologia da pesquisa ação, com foco na busca de ações visando o reconhecimento e controle do patrimônio pertencente ao ativo imobilizado da Instituição estudada. O método de trabalho envolveu diversos participantes, na busca de implementar ações com estudos bibliográficos, análise das teorias correlatas e aplicação efetivada em outras empresas. A pesquisa iniciou com o reconhecimento do patrimônio através de inventário físico, passando por procedimentos como identificação, codificação, descrição do referido Bem no sistema de gestão da Instituição até a etiquetagem. O trabalho visou tornar prático o controle de entradas, saídas e empréstimos do patrimônio existente.

Objetivo Geral:Implantar um sistema de Controle Patrimonial. Objetivos Específicos: Realizar Inventário Físico de todos os bens patrimoniais;Buscar informações na contabilidade;Confrontar informações do Inventário com registros contábeis;Efetuar levantamento para aquisição de etiquetas;Identificar, Codificar e Etiquetar cada bem do patrimônio;Alimentar o software existente com as informações atualizadas;Elaborar procedimentos para as futuras aquisições, movimentações transferências ou baixas;Emitir um Relatório Gerencial de Patrimônio;Desenvolver termo de Responsabilidade por Setor;Realizar Treinamento de Controle Patrimonial.Considerações:Quando todos os bens da empresa estão catalogados e identificados, evita-se desvio de recursos e desaparecimento de bens. Empresas que tem um controle fraco do seu patrimônio estão sempre correndo o risco de sofrer pequenas subtrações dos seus Bens. A importância de se ter um controle patrimonial eficiente e ao mesmo tempo eficaz é de grande relevância para quem deseja cumprir com sua obrigação e zelar pela credibilidade perante seu Público Alvo.O projeto de estágio na área patrimonial mostrou-se de suma importância para a Instituição, pois veio ao encontro dos problemas enfrentados na empresa, a partir da efetivação do controle patrimonial eficiente, tornou-se possível eliminar obscuridades e gerenciar o verdadeiro número de bens que a empresa possuí a seu dispor, adotando um senso de responsabilidade com o patrimônio existente.

O trabalho foi desenvolvido com todo o patrimônio existente, efetuando-se um levantamento de todos os bens, posteriormente, identificados, etiquetados, codificados, implantando-se um programa de controle patrimonial através do software que a empresa utiliza para controles financeiros e cadastro de clientes, que também possuí uma aba para controle patrimonial, porém nenhum bem se encontrava cadastrado anteriormente ao trabalho executado.Como base para o desenvolvimento do trabalho criou-se uma Planilha que serviu como roteiro para a alimentação do sistema de gestão, nela estava previsto todos os dados que o sistema solicitaria no momento do cadastro e já o código que o bem recebeu na etiqueta, nesta planilha em outra aba, estava a relação de bens não etiquetáveis, e também uma tabela para movimentações e empréstimos. Estas planilhas puderam continuar sendo abastecidas ou não, dependendo do interesse da pessoa responsável pela alimentação do software na empresa, pois na ausência ou eventual problema do sistema, ela poderia tirar qualquer dúvida em relação ao Controle Patrimonial.Foi criado também um procedimento padrão para os processos de aquisições, movimentações e baixas, porém devido a facilidade de utilização do software, não foi necessário grande detalhamento, pois o mesmo apresenta-se bastante auto explicativo.

Tendo em vista que somente uma pessoa ficaria responsável pelo Controle Patrimonial e processos de cadastro de aquisição, movimentação e baixas, não houve interesse por parte da mesma de transferir responsabilidades a outros sobre os bens em seus setores, assim sendo, respeitou-se a atitude da mesma, orientando-a Sobre qual seria a melhor forma de manter efetivamente o controle do patrimônio e organização das informações ao longo do tempo.O objetivo geral de implantar um controle patrimonial na Instituição estudada foi atingido, através de estudo aprofundado de autores e orientações dos professores e supervisores, que nortearam o processo de pesquisa, planejamento e posteriormente da parte prática, que foi a identificação do patrimônio através do inventário físico, a análise das informações da contabilidade, a descrição dos bens no sistema e a etiquetagem dos mesmos. Método e Análise de Dados:A elaboração dessa pesquisa se fundamentou em pesquisa de natureza aplicada do tipo exploratória, trazendo uma abordagem Quali-Quantitativa. E para atingir os objetivos foi necessário realizar procedimentos técnicos tais como:-Pesquisa bibliográfica;-Pesquisa documental com dados secundários existentes em relatórios, e documentos da empresa, como notas fiscais.O projeto teve como definição da sua área exclusivamente os recursos patrimoniais da empresa, mais precisamente o ativo imobilizado.Quanto aos dados foram utilizados recursos como a técnica de observação, referencias bibliográficas, índices e relatórios escritos, além de questionamentos com os colaboradores da instituição.O plano de análise, apresentação e interpretação dos resultados foi feito através de um relatório de todos os bens da empresa, emitido através do seu sistema de gestão, o software que a mesma já possuía, embora antes do trabalho executado sem informações da quantidade de bens que estavam a sua disposição.Quando se fala de Controle Patrimonial em uma empresa, imagina-se que esta tenha todas as informações a respeito de seus bens em um meio que proporcione a obtenção imediata de dados como valor, fornecedor, data de aquisição e principalmente onde estão localizados, a partir dessas informações tornam-se possíveis as tomadas de decisões cabíveis aos gestores sem a necessidade de conferências in loco cada vez que houver dúvida sobre determinado bem patrimonial.REFERENCIAS


Acesso em: 20/02/2014.

ARAUJO, Jorge Siqueira. Administração de materiais. 5ª. ed. São Paulo: Atlas,1981.


BERTAGLIA, Paulo Roberto . Logística: e gerenciamento da cadeia de abastecimento. Saraiva: São Paulo, 2003. 509 p.

BOOG, Gustavo; BOOG, Magdalena – Manual de Gestão de Pessoas e equipes. 2. Ed. São Paulo: Gente 2002.

BROM, Luiz Guilherme. Revista gestão e negócios. Escala, 2010. 117 p. Disponível em: http://revistagestaoenegocios.uol.com.br/gestao-motivacao/42/artigo256247-1.asp Acesso em: 07/02/2014.

CASAROTTO FILHO, N. ; PIRES, L. H. Desenvolvimento regional: um projeto de sistemas econômicos locais para Santa Catarina. Estudos Empresariais (UCB/DF), Brasília, 2001.



CHIAVENATO, Idalberto. Administração: teoria, processo e prática. 3.ed. São Paulo: Makron Books Do Brasil Editora Ltda, 1991. 416 p.


DIAS, Marco Aurélio P. Gerência de materiais. São Paulo: Atlas, 1996.

DRUCKER, Peter. Introdução à administração. São Paulo: Thomas Learning, 2006.

DRUCKER, Peter. Administração: Tarefas, responsabilidades e práticas. São Paulo: Enio Matheus Guazzelli & Cia. Ltda, 1989. 911 p. 7210 Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/academico/peter-drucker-e-os-fundamentos-da-administracao/71952/ Acesso em: 25/01/2014.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 3ed. São Paulo: Atlas, 1999.

MARQUES JÚNIOR, José; HARDING, Hamish Alan;. Administração da produção. São Paulo: Editora Atlas Ltda, 1992. 207 p.

MARTINS, Petrônio; ALT, Paulo Renato. Administração de materiais e recursos patrimoniais. 3. ed.rev. e atual. São Paulo: Editora Saraiva, 2009. 441 p.

MARION, José Carlos. Contabilidade básica. 10. ed. atual. São Paulo: Editora Atlas Ltda, 2009. 257 p. ISBN 8522436010

MEGGINSON, Leom C.; HOPP, Maria Isabel R. Administração: Conceitos e aplicações. 4.ed. São Paulo: Não Cadastrada, 1998. 614 p. 22986 ISBN 852940064X

MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de direito civil: parte geral. 40. ed.rev.atual. São Paulo: Editora Saraiva, 2005. 368 p.

OHMAE, Kenichi. O fim do estado nação: a ascensão das economias regionais. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1996.214p 20884.

PELETTI, Rafael. Administração de Materiais, Uniplac, 2012.

ROESCH, Silvia. Projetos de Estágio do Curso de Administração: guia para pesquisas, projetos, estágios e trabalhos de conclusão de Curso. São Paulo: Atlas, 1996.

ROSA, Jorge Antonio. Contabilidade Gerencial. Uniplac, 2011.

SANTOS, Gerson. Gestão Patrimonial. 3 ed. Florianópolis: Editora Papa Livro, 2008.

SANTOS, José Luiz dos; SCHMIDT, Paulo. Contabilidade societária. São Paulo: Editora Atlas Ltda, 1997. 473p.

SANTINI, A.G. RFID. Votuporanga, 2006. 65 f. Monografia (Sistema de informação). UNIFEV – Centro Universitário de Votuporanga, Votuporanga, 2006.

SOUZA, L. C. Associações. Vitória: Sebrae, 2007.

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE – UNIPLAC. Curso de Administração. Regulamento de Estágio Supervisionado. Aprovado pelo Parecer nº 1251 de 21/12/2000 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão – CONSEPE.

VIANA, João José. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Editora Atlas Ltda, 2011. 448 p.

VASCONCELOS, E. P. L. Associativismo e cooperativismo: conhecer e participar. . Belo Horizonte: EMATER - MG, 2009.

Palavras-chave


Controle, Patrimônio, Codificação, Etiquetagem.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC