A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO SERVIÇO DE ACOLHIMENTO EM FAMÍLIA ACOLHEDORA NO MUNICÍPIO DE LAGES – SC

Liliane Felippi Capistrano, Audrilara A. R. Campos

Resumo


Introdução: Este relato é oriundo da experiência decorrente do estágio curricular obrigatório realizado no Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, efetivado no período de março de 2016 a outubro de 2016, no município de Lages, SC. Trata-se de um serviço de acolhimento temporário de crianças e adolescentes em famílias acolhedoras cadastradas e capacitadas para proteção e garantia dos direitos instituídos no Estatuto da Criança e Adolescente, com ressalva no Convívio Familiar e Comunitário. Objetivo: Conhecer a atuação do Assistente Social no Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora. Método de Intervenção: O Projeto Lei do Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora está em processo de aprovação pelo município de Lages. O município vem apresentando um grande avanço com relação às Políticas Públicas voltadas à área da Assistência Social. Vários serviços vêm sendo ampliados ou reordenados na expectativa de realizar adequações e consequentemente oferecer mais qualidade nos atendimentos às diversas situações existentes de vulnerabilidade social ou violações de direitos. Por tanto, esse serviço está em fase de implantação e tem como objetivo o acolhimento provisório de crianças e adolescentes, até que seja viabilizada uma solução de caráter permanente, a criança ou o adolescente serão acolhidos em residências de famílias acolhedoras cadastradas e capacitadas prestar este serviço. A capacitação e acompanhamento das famílias e dos acolhidos no serviço será realizado pela equipe técnica (assistente social, psicólogo e pedagogo). A equipe técnica terá como atribuições acolher, avaliar, selecionar, capacitar, acompanhar, desligar, supervisionar, planejar e articular com a rede de serviços do sistema de garantia de direitos aos acolhidos. Além disto, pode-se dizer que o Assistente Social dispõe de uma visão crítica e investigativa, tendo respaldo teórico-metodológico, técnico operativo e ético político, respaldado pelo materialismo histórico dialético o que faz com que este profissional seja de extrema importância nos serviços de acolhimento de alta complexidade do Sistema Único de Assistência Social - SUAS. Considerações: Tendo em vista o desenvolvimento de crianças e adolescentes que sofreram violações de seus direitos por sua família de origem ou extensa, é dever do Estado proteger e garantir seus direitos. Sendo assim, são inseridos em serviços de acolhimento, com acompanhamento da equipe técnica responsável para que essa situação de acolhimento almeje a proteção, dignidade, equidade e garanta todos os direitos instituídos no ECA até propiciar em uma situação permanente.

Palavras-chave


Acolhimento, Família, Criança e Adolescente, Serviço Social.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC