Atuação do Serviço Social no Centro de Atenção em Saúde Mental - CASM

Leticia Ramos, Rosa Maria Satiro, Audrilara Arruda Rodrigues Campos

Resumo


O referido relato surgiu da disciplina de Serviço Social e Organizações, do 8º semestre do Curso de Serviço Social da Uniplac, no ano de 2016, na qual tem o intuito de explanar a intervenção do Assistente Social no Primeiro, Segundo e Terceiro Setor, a partir do fazer profissional do Assistente Social no âmbito da Saúde Mental. Conhecer o espaço de atuação profissional do Assistente Social no primeiro setor, especificamente no Centro de Atenção em Saúde Mental – CASM, do município de Lages-SC. Este relato, se faz relevante para que possamos compreender por intermédio da visita técnica e entrevista à instituição CASM o fazer profissional do Serviço Social. A importância de relatar esta vivência, está na construção do conhecimento acadêmico e social, consequentemente ampliando o saber referente a área de atuação do profissional de Serviço Social. O CASM possui como demanda a população com depressão leve a moderada, sendo instituído em 2012 para atender as necessidades do município. O Assistente Social inserido nesta instituição, é responsável pelos internamentos e acompanhamento dos mesmos, sendo apenas aqueles realizados pelo Município de Lages/SC. A atuação do profissional de Serviço Social na Saúde Mental desenvolve diversas funções, todas elas objetivando melhor qualidade de vida aos usuários da instituição, bem como sua reinserção no meio social. É de responsabilidade do mesmo orientar indivíduos e grupos de diferentes segmentos sociais, com objetivo de dar autonomia a eles, desta forma garantindo seus direitos, devendo dispor de uma leitura da realidade, compreendendo assim, o contexto social no qual o indivíduo está inserido, planejando desta forma a sua intervenção, com objetivo de inserir novamente o indivíduo na sociedade como cidadão de direitos. Neste cenário, é importante trabalhar a ressocialização e reinserção familiar e social, através de encaminhamentos a programa e projetos, além das orientações. É preciso atuar na defesa dos direitos, mesmo para pessoas reclusas de seus ambientes familiares. Além do trabalho realizado com os indivíduos, na questão de encaminhamentos, orientações e acompanhamentos é importante trabalhar com a família, através das mediações familiares. Deve-se utilizar os serviços fornecidos pela rede de atendimento de todas as formas, trabalhar em conjunto com outros profissionais, de forma articulada para esgotar as possibilidades de atendimento, pois a internação deve ser realizada em último caso ou em extrema necessidade.

Palavras-chave


Serviço Social - Atuação Profissional - Saúde Mental



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC