UMA ESTRANHA NO ESPELHO: QUEM SOU EU?

Maris Regina Aparecida Rossi Zago, Natiely Conradi Wolff, Kenny Secchi

Resumo


Devido à grande valorização dada à imagem corporal, em especial a feminina, percebe-se que os problemas relacionados à visão do sujeito em relação a sua imagem corporal afeta a saúde psicológica, mental e social. De acordo com esta reflexão, o corpo é um fenômeno singular no qual o sujeito se experiência e se relaciona com os demais, desta forma, quando este percebe e o sente de uma maneira negativa, a sua percepção afetará também seus relacionamentos intra e interpessoais, podendo gerar tensão, sofrimento individual e coletivo. Muitas vezes os ideais de beleza padronizados pela mídia, não são obtidos por meio da prática de atividades físicas, redução de peso, entre outros, desta forma, principalmente as mulheres tem recorrido às formas mais radicais de modificação corporal: a cirurgia plástica. Este estudo torna-se relevante no âmbito social no sentido de investigar mais sobre o tema, com o intuito de conhecer e informar o processo vivido por essas mulheres levando em consideração que ao obter maiores informações pode-se esclarecer este fenômeno e principalmente desmistificar o culto da magreza como referencial de beleza, podendo ampliar o conhecimento a respeito da temática, contribuindo para uma melhor compreensão e aceitação do corpo. Bem como torna-se relevante cientificamente, na medida em que não se encontra muitos livros disponíveis sobre o tema, sendo assim, mostra-se necessárias maiores pesquisas para disseminação do conhecimento. A presente pesquisa se caracteriza como qualitativa, de natureza descritivo-exploratória onde será utilizada a técnica Snowball Sampling. O tratamento dado aos conteúdos trazidos pelas participantes da pesquisa será por meio da análise de conteúdo temática. O presente projeto foi autorizado pelo CEP, de acordo com os termos da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. As participantes serão 10 mulheres na faixa etária entre 20 e 50 anos de idade, que já realizaram intervenções cirúrgicas, sejam elas estéticas ou reparadoras, moradoras da cidade de Lages, e que aceitem assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). O objetivo geral é investigar os fatores que as influenciaram a optar por cirurgias plásticas como forma de aumento da satisfação com sua autoimagem. Os objetivos específicos são: identificar o perfil pessoal e profissional de mulheres que realizam/realizaram cirurgias plásticas (idade, estado civil, ocupação, posição econômica, etc.); descrever quais impactos têm a cirurgia na autoimagem e autoestima da mulher; verificar os fatores internos/pessoais e externos (relações profissionais e sociais) que influenciaram na opção pela cirurgia; identificar os objetivos pretendidos pelas mulheres com a realização das cirurgias plásticas e observar os impactos das cirurgias plásticas na satisfação com a autoimagem dessas mulheres. Dentre as hipóteses esperadas pretende-se investigar se houve alteração em relação à percepção e satisfação com a autoimagem em mulheres que realizaram cirurgias plásticas, bem como se o elevado nível de vaidade da mulher contribui para a realização de cirurgias plásticas; se quanto menor a autoestima e satisfação com a autoimagem aumenta o índice de procura por cirurgias plásticas e por fim pretende-se verificar se na presente amostra de pesquisa o fenômeno da corpolatria se faz presente.

Palavras-chave


Imagem Corporal; Percepção e Satisfação Corporal; Corpolatria; Cirurgia Plástica



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC