O IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DO PROTOCOLO REGIONAL DE ATENÇÃO AO PRÉ-NATAL E PUERPÉRIO DA SERRA CATARINENSE NA REDUÇÃO DOS CASOS DE SÍFILIS CONGÊNITA NO MUNICÍPIO DE SÃO JOAQUIM/SC

Daniela Beckhauser, Bruna Roberta Ferraz, Edna Hiromi Iida Eto, Josiane Nunes Oliveira, Leonardo Pisetti Luvison, Luciana Costa, Maria Clara Formolo de Souza, Regiane Aparecida de Oliveira

Resumo


Introdução:Nos últimos anos as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) readquiriram importância como problemas de saúde pública em âmbito nacional. Em 1999, a organização mundial da saúde (OMS) estimou o total de 340 milhões de casos novos ao ano de IST em todo o mundo em indivíduos de 15 a 49 anos, 10 a 22 milhões desses casos no Brasil. Outros tantos milhões de IST não curáveis, incluindo herpes genital humano, HPV, hepatite B e HIV ocorrem anualmente. Abortos espontâneos, natimortos, baixo peso ao nascer, infecções congênitas e perinatais estão associadas às IST não tratadas ou inadequadamente tratadas em gestantes, sendo a sífilis adquirida uma das causas mais significativas. Diante do contexto nacional a serra catarinense, em especial o município de São Joaquim também evidencia uma situação preocupante em relação aos altos índices de incidência de IST dentre elas destacamos a sífilis o que pode ser provado pelo aumento de casos de sífilis gestacional de 900% de 2012 a 2015, e o de sífilis congênita que mantinha média de 1 caso ano para 3 somente nos seis primeiros meses de 2016, segundo informações do SINAN municipal.Em Maio de 2016 a regional de saúde juntamente com a Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC) e o Centro de Ciência Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC-CAV) apresentam o PET-saúde/GraduaSUS como um grande aliado da secretaria municipal de saúde para conter o avanço da epidemia de IST mais especificamente de sífilis.Objetivo:Melhorar os indicadores relacionados às IST do município de São Joaquim através da implantação/implementação de um pré-natal eficiente em conformidade com o preconizado no Protocolo Regional.Método: A equipe PET usou como ferramenta norteadora para o planejamento estratégico o método CANVAS, que permite visualizar a problemática existente e traçar um plano de trabalho para atingir o objetivo final que será a implantação de 100% do serviço de pré-natal no município.Encontros com as ESF proporcionaram conhecimento da realidade local, fortalecimento de vínculo e coleta/tratamento de dados relevantes (SINAN) para um diagnóstico das IST do município. Analise destes dados norteou o inicio do trabalho pelo serviço de pré-natal do município em todas as USF de forma unificada e padronizada, por entender-se que este é fragmentado e tem se mostrado ineficiente.Considerações: A equipe PET terá dois anos de trabalho para interligar a formação-ensino-secretaria da saúde-comunidade. Cientes de que o trabalho deve ser consolidado para que após este período permaneça de forma efetiva temos uma grande preocupação com a base deste projeto e esperamos que ao término do mesmo tenhamos uma rede de pré-natal no município de São Joaquim plena em todos os seus níveis de atendimento a gestante, recém-nascido e puérperas.

Palavras-chave


PET, Estratégia Saúde da Família, Protocolo Regional de Atenção ao Pré-natal e Puerpério da Serra Catarinense, IST.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC