DADOS EPIDEMIOLÓGICOS DA PNEUMONIA ADQUIRIDA NA COMUNIDADE

José Carlos Sandi Filho

Resumo


Introdução: As infecções respiratórias agudas (IRA) estão entre as maiores causas de morbidade e mortalidade em pacientes pediátricos, sendo a pneumonia uma das mais graves A Pneumonia Adquirida na Comunidade (PAC) é uma infecção aguda do parênquima pulmonar em um indivíduo que adquiriu fora do ambiente hospitalar. Conforme a Secretaria de Vigilância em Saúde, PAC é a principal causa de morte por doença infecciosa no mundo, registrando 12 casos para cada 1000 habitantes por ano. Dessa forma, no Eletivo foi à patologia mais diagnosticada, despertando interesse para realização de uma revisão bibliográfica. Objetivo: Demonstrar os dados epidemiológicos da PAC no Brasil e região Sul. Método: A pesquisa foi realizada em agosto de 2016, sobre os dados epidemiológicos da PAC evidenciados a partir de uma coleta de dados no DATASUS no ano de 2014. A revisão bibliográfica foi realizada a partir da plataforma Scielo utilizando-se como filtros: “pneumonia”, “pneumonia adquirida na comunidade”, “epidemiologia” no período de 2010 a 2015, artigos em português, realizados no Brasil. Resultado: No Brasil de janeiro/2002 até fevereiro/2007 a PAC foi a causa de morbidade em 2.246.316 crianças até 14 anos, tendo um custo governamental de R$ 986.424.260,77. No estado de Santa Catarina, durante o mesmo período, a PAC foi causa de morbidade em 135.380 pessoas, sendo 52,8% destes casos em crianças menores de 14 anos. Há registros em 2005 de 1.462.050 internamentos por PAC no Brasil, sendo a segunda maior causa de morte em idosos acima de 80 anos e o mês de maior incidência é junho. Em 2015, a maior média de internamentos entre as regiões do país é o Sul, sendo 130 internamentos para cada 1000 habitantes. A faixa etária da população mais atingida na região Sul é composta pelas crianças menores de dois anos e idosos maiores de oitenta anos. O Jornal Brasileiro de Pneumologia destaca que em 2014, 373.622 crianças até quatorze anos necessitaram de hospitalização devido à pneumonia, sendo 48% crianças de um a quatro anos. Nesta faixa etária, o risco de complicação é elevado, efusões pleuras e lesões parenquimatosas são os principais agravos clínicos e elevadores de risco de morte nas crianças. Atualmente, estamos passando por uma transição epidemiológica, a PAC está sendo substituída por doenças crônicas. Esta vem sendo pesquisada com inter-relações baseadas na idade e escolaridade da mãe bem como a forma de aleitamento/alimentação proporcionado para seu filho. O leite materno exerce um papel muito importante de proteção contra doenças infecciosas. O principal agente causador da PAC é o Streptococcus pneumoniae, este tratado por antibioticoterapia conforme sua classe de risco, sendo que nem sempre ocorre o uso correto do mesmo. Conclusão: As boas condições nutricionais e acesso aos serviços de saúde são essenciais para a saúde da população contra as doenças infecciosas. O tratamento está sendo dificultado pelo uso indevido de antibióticos e a alta resistência da bactéria, uma vez que percebemos um maior período de internação e elevações nas taxas de morbidade e mortalidade.

Palavras-chave


Epidemiologia, Pneumonia, Pneumonia Adquirida na Comunidade



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC