Detecção de oocistos de Cryptosporidium spp. em crianças atendidas no Laboratório do Hospital Infantil da cidade de Lages, SC

Suyane Scopel, Alana Santos

Resumo


O Cryptosporidum spp. é um protozoário do filo Apicomplexa que acomete a borda das microvilosidades intestinais levando a um quadro caracterizado por febre, desidratação, dores abdominais, vômito e sobretudo diarreia, principalmente em indivíduos imunocomprometidos como pacientes HIV e crianças, sendo de grande importância a integridade do sistema imune para a defesa contra este parasito. Em pacientes normais, entretanto as manifestações são pouco perceptíveis. A criptosporidiose é uma doença emergente, sendo o Cryptosporidium spp. transmitido pelo contato direto entre pessoa-pessoa, animal-pessoa ou ainda de forma indireta pelo consumo de água, caracterizando sua principal via de transmissão e alimentos contaminados. O objetivo deste trabalho foi detectar a presença de oocistos de Cryptosporidium spp. no exame microscópico em amostras fecais de crianças atendidas pelo Laboratório do Hospital Infantil da cidade de Lages, Santa Catarina. Dentre as colorações, para análise microscópica, uma das mais recomendadas é o método de Ziehl Neelsen o qual facilita a demonstração de oocistos nas fezes. Técnicas biomoleculares como por exemplo a análise por PCR (polymerase chain reaction) também são importantes pois além de determinar as diferentes espécies deste parasito, exigem quantidades muito menores de oocistos para sua identificação. Das 25 amostras analisadas pela técnica de Ziehl Neelsen, 38,46% (10/26) foram positivas. A positividade para oocistos de Cryptospordium spp. em relação ao sexo, 46,47% (7/15) foram diagnosticados em meninos e 27,27% (3/11) em meninas; já para faixa etária as idades entre dois a três anos foram mais prevalentes com 60% das amostras. Em virtude da criptosporidiose ocorrer principalmente em crianças, é necessário fazer o diagnóstico seguro e eficaz, uma vez que as técnicas de coloração embora sejam as mais comumente empregadas nos laboratórios apresentam limitações não somente pela dificuldade do diagnóstico, bem como também não permite fazer um estudo da forma de infecção uma vez que não tem capacidade de determinar as características genotípicas das espécies do parasito.

Palavras-chave


criptosporidiose; diagnóstico; Ziehl Neelsen; enteroparasitose.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC