ÚLCERA DE CÓRNEA NEUTRÓFICA: UMA EMERGÊNCIA OFTALMOLÓGICA

Caroline Ringvelski

Resumo


Trata-se de uma revisão de literatura acerca da úlcera de córnea neutrófica, infecção corneana considerada causa importante de cegueira monocular. Os principais sintomas apresentados pelo paciente são hiperemia conjuntival e dor ocular. Devido a sua rápida progressão e elevado potencial para complicações, as úlceras de córnea são consideradas uma emergência oftalmológica. O estudo foi motivado com base na observação participante desenvolvida durante a prática em um serviço de Oftalmologia, inserida na unidade educacional eletiva do quinto ano do curso de Medicina da UNIPLAC, nos meses de fevereiro e março de 2015. A úlcera de córnea neutrófica é uma patologia secundária ao comprometimento do ramo oftálmico do V nervo craniano, que leva a diminuição ou abolição da sensibilidade da córnea e da conjuntiva. O mecanismo fisiopatólogico é incerto, sendo considerada a inibição do estímulo trogeminal sobre as células límbicas da cornea a hipótese mais aceita, o que levaria a uma alteração do mecanismo epitelial e surgimento das úlceras tróficas. A etiologia mais frequente é a infecção da superfície corneana pelo vírus herpes simples e pelo herpes zoster, podendo ta,bém estar relacionada com diabetes mellitus,cirugias prévias do seguimento anterior, tumores. As características clínicas incluem alteração do filme lacrimal e ceratite superficial nas fases iniciais, e desepitelização persistente e ulceras nos casos mais graves. O tratamento tem por objetivo a reepitelização da córnea, sendo iniciado geralmente com colírios lubrificantes de lágrimas articiais. Estudos recentes apontam bons resultados com uso tópico de soro autólogo e fatores de crescimento nervoso. Sendo esta uma patologia em que o diagnóstico etiológico está intimamente ligado com outras patologias sistêmicas, a amamnese e uma boa associação com a história patológica pregressa podem levar ao diagnóstico. As úlceras constituem uma emergência ocular e têm rápida progressão e elevado potencial para complicações, devendo ser consideradas como diagnóstico em pacientes que procuram atendimento com dor e
hiperemia ocular. O olho vermelho é o principal motivo de atendimento oftalmológico emergencial e diante deste quadro a úlcera de córnea deve ser suspeitada. Devido a gravidade e rápida evolução o manejo adequado é fundamental. O objetivo deste trabalho é ampliar meus conhecimentos na área de Oftalmologia, enfatizando os mecanismos fisiopatológicos envolvidos nas lesões corneanas. Conclui-se que sendo a úlcera de córnea a segunda maior causa de cegueira monocular nos países desenvolvidos e um dos seus principais sintomas ser a hiperemia ocular, causa comum de procura por atendimento oftalmológico, a suspeição e tratamento precoce tornam-se fundamentais para redução das sequelas que podem afetar permanentemente a qualidade de vida do paciente, tais como aerfuração ocular, a opacidade corneana permanente, e o pior desfecho, a perda da visão.

Palavras-chave


Oftalmologia, Córnea, Úlcera de córnea neutrófica



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC