INCIDÊNCIA DE INFECÇÃO POR CANDIDA ALBICANS E CANDIDA NÃO ALBICANS EM GESTANTES ATENDIDAS EM UNIDADES DE SAÚDE

Larissa Silva Bitencourt, Karolina Bassoli, Paulo Henrique Exterchoter Weiss

Resumo


Os fungos do gênero Candida são pequenas leveduras e estão distribuídos em mais de 150 espécies. São patógenos oportunistas frequentemente isolados das superfícies mucosas de indivíduos normais. Estão muito bem adaptadas ao corpo humano, por isso podem colonizá-lo sem produzir sinais de doença em condições de normalidades fisiológicas. A gravidez propicia a proliferação de Candida spp. em decorrência da umidade aumentada no meio vaginal, associada à redução do pH vaginal e à depressão da imunidade celular. A progesterona facilita a aderência do fungo às paredes vaginais e propicia seu crescimento. Desta forma este estudo é de grande importância, pois sabe-se que o diagnóstico laboratorial é essencial durante o pré-natal, podendo a gestante tratar a infecção, evitando assim possíveis colonizações no recém-nascido. Foram realizadas coletas de secreção vaginal de 53 gestantes de diferentes faixas etárias e períodos gestacionais. A coleta do material foi efetivada com swab estéril, a partir do qual foi realizado esfregaço em lâmina e, posteriormente este swab foi lavado em soro fisiológico estéril para realização do exame direto. Outro swab foi utilizado para a coleta do mesmo material sendo semeado em ágar Sabouraud Dextrose com Cloranfenicol (SCL). Para isolamento e identificação da Candida as amostras em soro fisiológico foram centrifugadas a 2500rpm/ 10 min. Desprezado o sobrenadante, foi realizado exame direto a fresco do sedimento entre lâmina e lamínula. O esfregaço em lâmina foi corado pelo método de Gram, permitindo a visualização dessas estruturas. O cultivo em SCL foi incubado a 37°C por 48 horas, quando então realizou-se a leitura macroscópica e microscópica do mesmo. A partir da colônia isolada do meio, foi realizado o teste do tubo germinativo. Para este procedimento, um fragmento da colônia foi colocado em soro humano e incubado a 37°C por 2 horas. A presença dos tubos germinativos confirma o diagnóstico de C. albicans. Aquelas cepas que não apresentarem crescimento do tubo germinativo confirmam a presença da C. não albicans. Das 53 amostras analisadas, 11 apresentaram crescimento de Candida spp, sendo 08 C. albicans e 03 C. não albicans, a média de idade das gestantes foi de 24 anos, o período gestacional teve uma media de seis meses, esses resultados indicam que a candidíase ainda é prevalente em mulheres gestantes, necessitando maior atenção durante o pré-natal.

Palavras-chave


Candidíase, Vaginite, Pré-natal



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC