PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO RELACIONADOS À SAÚDE DCNT EM ESCOLARES

Simone Zancheta, Luiz Alberto Corrêa Fraga, Luiz Alberto Corrêa Fraga, Marli Coscodai

Resumo


Percebe-se que ao longo dos anos, a vida das pessoas vem passando por mudanças consideradas significativas em relação ao estilo de vida que possuem. No passado as pessoas executavam seus trabalhos em atividades que demandavam esforço físico, na contemporaneidade e com a disponibilidade de uso de tecnologias, estes recursos têm gerado conforto e facilidades ao cotidiano do homem moderno. Considera-se que esta comodidade contribui muito para o aumento do sedentarismo, que em conjunto com os demais fatores trouxeram o avanço das doenças crônicas não transmissíveis, sendo considerada a obesidade uma delas. As doenças crônicas não transmissíveis vêm tendo um aumento significativo e se compõem hoje em problema de saúde pública. Esse estudo tem como objetivo identificar a contribuição da Educação Física escolar na prevenção e controle dos fatores de risco relacionados à saúde em escolares de ambos os sexo, na faixa etária dos 14 aos 16 anos de idade de uma escola da rede pública estadual da cidade de Lages(SC), e os objetivos específicos procuram identificar a prevalência de sobrepeso e obesidade na amostra coletada, quantificar os níveis de flexibilidade geral e identificar os níveis de sedentarismo nos escolares. A pesquisa constitui-se em um estudo do tipo exploratório descritivo com amostras do tipo aleatória simples, sendo sujeitos do estudo os escolares de ambos os sexos de uma escola da rede pública estadual de ensino na cidade de Lages(SC), na faixa etária dos 14 aos 16 anos de idade. Foram considerados como instrumentos de coleta de dados a observação sistemática realizada na escola com os estudantes selecionados, mediante autorização prévia dos pais ou seus responsáveis. Utilizou-se o adipômetro marca “Sescorf” para verificar o percentual do nível de massa corporal e o Banco de Wells a fim de aferir o nível de flexibilidade dos escolares. Esses instrumentos constituíram o arrolamento de sondagem de níveis de atividade física, delimitando assim o objeto de estudo cuja prevalência dar-se-á sobre os níveis de sobrepeso e obesidade, relacionados à flexibilidade geral e ao sedentarismo desses escolares. Dessa forma, considerando que os dados desse estudo encontram-se, em fase de análise no momento da postagem desse resumo, pode-se antecipar que esse estudo revela que os escolares não priorizam atividades físicas que beneficiam o gasto energético resultando na diminuição do sobrepeso e sedentarismo dos mesmos.

Palavras-chave


Doenças crônicas não transmissíveis, Educação Física Escolar, Sedentarismo



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC