TERAPIA COMUNITÁRIA NA ATENÇÃO BÁSICA

Sued Macedo Lopes, Pamela Silva dos Santos, Suelen Wiggers, Renata Buun, Helen Baumggart Costa, Leila Aparecida Golart Raimundo

Resumo


Diante da crescente demanda na Atenção Básica de usuários com queixas de sofrimento mental, bem como, do desafio das equipes de saúde em articular ações de promoção e prevenção de agravos, considerando a integralidade dos sujeitos, e com a responsabilidade da Estratégia Saúde da Família em desenvolver ferramentas de promoção em saúde se desenvolve as rodas de Terapia Comunitária – TC, vista como uma potente estratégia de cuidado em saúde mental. A TC proporciona um espaço acolhedor, onde os usuários podem compartilhar e refletir sobre seus conflitos, dificuldades, angústias e situações que lhes tiram sono através do exercício da palavra. O objetivo da TC é criar um espaço onde à comunidade possa falar e refletir sobre a vida, trabalhar a empatia, promover momentos de descontração e relaxamento, visando o bem-estar e fortalecimento de vínculo entre os usuários. A TC utiliza-se dos saberes e das experiências que emanam do próprio grupo como subsídio para a modificação da realidade de fragilidade e vulnerabilidade. Essa estratégia vem sendo realizada em 3 Unidades Básicas de Saúde, semanalmente, com uma intervenção multiprofissional entre os profissionais da Estratégia de Saúde da Família, Núcleo de Apoio a Saúde da Família e Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade. O projeto se caracteriza como uma estratégia de cuidado em saúde mental, onde potencializa o cuidado integral na Atenção Básica, legitimando a potencialidade das chamadas tecnologias leves, por se caracterizar pelo baixo custo e grande acessibilidade à população. Tornando-se espaço de escuta, exercício da palavra e construção de redes de apoio a sujeitos e famílias por meio da consolidação de vínculos sociais e da promoção de autonomia. Utiliza-se dos saberes e das experiências que emanam do próprio grupo (comunidade) como subsídio para a modificação da realidade de fragilidade e vulnerabilidade social instalada. Revela ainda que a busca de soluções para problemas do cotidiano que afetam a saúde mental, está no fortalecimento de vínculos, na evidência do poder resiliente da pessoa que sofre e no seu empoderamento. É esperado com a TC reduzir as sensações e sentimentos negativos da comunidade, trabalhando o potencial das pessoas que se encontram em sofrimento e ao mesmo tempo, possibilitando a promoção, prevenção e recuperação, sendo estas uma meta constante e tarefa de todos. Reforçar a dinâmica interna de cada indivíduo, autoestima individual e coletiva, a confiança em si mesmo, valorizando o papel da família e do grupo social e proporcionando a união e a identificação com os valores culturais.

Palavras-chave


terapia comunitária, saúde mental, atenção básica.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC