ECONOMIA SOLIDÁRIA: PERCEPÇÕES DOS SUJEITOS NA CONSTITUIÇÃO DA COOPERATIVA DE CATADORES DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SÃO JOAQUIM/SC

Inea Giovana Silva Arioli, Geraldo Augusto Locks, Caroline Meerholz, Chaiane Susin Bernardo, Mario Vitor de Sousa Arruda

Resumo


O surgimento da Economia Solidária evidencia-se como uma forma de sobrevivência das populações excluídas do mercado formal de trabalho e manifesta-se por princípios de solidariedade, fundamentadas pela autogestão e cooperatividade, visando a horizontalidade no processo em geral. Portanto, surge como uma prática social, onde os sujeitos buscam novas formas de produzir e vender, e tem com o real interesse o bem estar de todos e seu crescimento a favor de melhorias na forma de organizar o trabalho e na qualidade vida das pessoas e populações. O processo de formação de uma cooperativa configura-se em oportunidade ímpar para investigação dos meandros que permeiam a problemática desta construção coletiva, visto que o cooperativismo envolve a participação econômica dos membros e a autogestão democrática, situação que pode abarcar variados conflitos de interesses e obstáculos intrínsecos em seu processo de construção e consolidação. A partir deste cenário, o presente resumo apresenta uma pesquisa em andamento, realizada pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP UNIPLAC) e que tem como objetivo analisar as percepções dos sujeitos envolvidos no processo de constituição da Cooperativa de Trabalhadores Catadores de Resíduos Sólidos de São Joaquim. Especificamente busca-se contextualizar aspectos históricos e metodológicos da formação da cooperativa e caracterizar as tensões, possibilidades e perspectivas vivenciadas pelos cooperados. Para consecução destes objetivos está em curso a realização de entrevistas com um gestor municipal, dois agentes apoiadores e três membros da cooperativa. Após o término da realização e transcrição das entrevistas, será realizada a análise dos dados, que se pautará na Análise Temática, que busca identificar os núcleos de sentido que compõem uma comunicação. É válido ressaltar que esta pesquisa foi avaliada e aprovada pelo Comitê de Ético em Pesquisa – CEP UNIPLAC. Os resultados parciais apontam para: a necessidade do apoio do poder público e das entidades apoiadoras para a formação das cooperativas; a constituição de identidade do sujeito e da família a partir do trabalho cooperado; a visibilidade dos partícipes da cooperativa a partir do coletivo que fazem parte e a importância da formação/educação dos trabalhadores e da população em geral para o desenvolvimento de uma cooperativa de resíduos sólidos recicláveis. Ressalta-se a importância de investigar o primeiro processo de constituição de uma cooperativa de trabalhadores catadores de resíduos sólidos no território do Planalto Catarinense pautada nas bases da Economia Solidária, pois trata-se de uma prática social organizativa piloto no contexto de um plano de trabalho desenvolvido pelo Consórcio Intermunicipal da Serra Catarinense - CISAMA, evidenciando um campo fértil para pesquisa que pode contribuir para a formação e fortalecimento de outras cooperativas. A análise realizada nesta pesquisa pode fortalecer as atividades de incubação da ITCP UNIPLAC, contribuindo também para o fortalecimento do movimento de Economia Solidária na região, para a consolidação da própria cooperativa onde se desenvolverá a pesquisa e para a reciclagem dos resíduos sólidos na cidade de São Joaquim e região.

Palavras-chave


Economia Solidária. Instituição de Cooperativa. Catadores de resíduos Sólidos



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC