ALÉM DA IMAGEM: A RESSIGNIFICAÇÃO LÚDICA NO ENSINO APRENDIZAGEM

Nathaly da Silva Sabará de Castro, Everton Oliveira Figueiró, Elaine Franco, Fabiola Cordioli Dias

Resumo


Consideramos que é preciso definir os conhecimentos necessários que contribuam para uma realidade em sala de aula. Em meio aos muitos recursos que o educador pode e deve mobilizar em espaços de educação formal: a sala de aula e também em locais de educação não formal: hospitais, instituições, escolas de arte, museus, espaços culturais entre outros, onde podemos oportunizar o desenvolvimento cognitivo que possibilite aos acadêmicos a importância de suas escolhas. Ao olhar uma obra de arte, por exemplo, uma pintura, elaboramos um conjunto de ideias, que se modificam a cada vez que olhamos a obra observada. Diante disto a imagem constitui percepção, já que toda experiência estética, seja de produção ou recepção, supõe um processo perceptivo. A leitura de imagem de uma obra de arte faz com que o observador produza significados diferenciados do artista, ou seja, referenciados conforme o estilo ou momento de vida que o observador se encontra. A socialização dessas diversas formas de leitura de trabalhos artísticos e pedagógicos mediados pelo professor, tem como oportunizar a construção e a sistematização do seu conhecimento. O presente estudo tem por objetivo de ressignificar a importância da pintura mural em espaços de educação não formal: a classe hospitalar infantil, com a apreciação das crianças que contextualizam com imagens pictóricas através de atividades lúdicas e pedagógicas no ensino aprendizagem, procurando desenvolver a ludicidade neste universo imaginário onde acontece a socialização com os personagens deste contexto. Foram desenvolvidas pinturas murais pelos bolsistas dos cursos de Licenciaturas de Artes Visuais e Pedagogia, do Programa Institucional de iniciação a docência - PIBID em parceria com a Universidade do Planalto Catarinense UNIPLAC/ Lages, SC. Os Bolsistas no primeiro momento fizeram pesquisas de imagens que fazem parte do universo artístico infantil e depois se organizaram e executaram as pinturas murais bem como ícones infantis que mostram: bichos, pessoas, animais, natureza, com caracterização animada, nas paredes externas da brinquedoteca e também no jardim do Hospital Infantil Seara do Bem. O contato das crianças com as pinturas murais fizeram uma grande diferença, pois os bolsistas dos cursos de artes visuais e pedagogia elaboraram atividades de ensino aprendizagem tais como: Contação de histórias, pintura facial, história em quadrinhos, modelagem e teatro de fantoches, onde os mesmos realizaram aos sábados no referido hospital. As relações dos bolsistas de Artes Visuais e Pedagogia no ensino aprendizagem em sala e aula, através da contextualização em espaços de educação não formal, como por exemplo ambientes hospitalares, contribuíram para o processo artístico e pedagógico da criança que passa a diferenciar, através da percepção visual e pedagógica as imagens alegres, coloridas que estão em seu entorno, sentem, vivenciam e reagem positivamente. A reação positiva nos conduz ao bem estar e a imaginação, porém não possibilita a cura, mas sim estimula percepções de atividades que envolvam a ludicidade, através das imagens do ambiente durante o período de hospitalização da criança.

Palavras-chave


ensino aprendizagem, pintura, ressignificar, arte, educação não forma



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC