VIVENCIANDO O MACULELÊ EM SALA DE AULA

Ionara Abreu, Karine Pinheiro, Leo Moreira, Lurdes Caron, Roseceli Vieira

Resumo


A história e a cultura dos povos africanos são parte da história do Brasil, tal como a história dos nossos indígenas tratando de heranças culturais e dando ênfase a dança do maculelê. O Maculelê é uma manifestação cultural oriunda da cidade de Santo Amaro da Purificação – Bahia, berço também da Capoeira. É uma expressão teatral que conta através da dança e de cânticos, a lenda de um jovem guerreiro, que sozinho conseguiu defender sua tribo de outra tribo rival usando apenas dois pedaços de pau, tornando-se o herói da tribo. Sua origem é desconhecida. Uns dizem que é africana, outros afirmam que ela tenha vindo dos índios brasileiros e há até quem diga que é uma mistura dos dois. O próprio Mestre Popó do Maculelê, considerado o pai do maculelê, deixa clara a sua opinião de que o maculelê é uma invenção dos escravos no Brasil, assim como a capoeira. Este projeto apresenta o relatório de atividades teórico/práticas desenvolvidas por ocasião do Estágio Curricular Obrigatório – ECO, desenvolvido no 7º e 8º semestre do curso de Arte Educação – Visuais, da Universidade do Planalto Catarinense, UNIPLAC. Esta disciplina de estágio curricular obrigatório, agrega a matriz curricular do curso de licenciatura artes, que atende o que recomenda as Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação de Professores da Educação Básica, quando determina que esta é uma atividade de caráter profissional, e portanto deve ser desenvolvida no campo de atuação, isto é na escola de Educação Básica. O relatório partiu da pergunta: Como os alunos vivenciam o maculelê e a diferença étnica racial na sala de aula? Este relatório aborda as etapas indispensáveis de apreciação, compreensão e intervenção no campo e atuação profissional, com o tema do maculelê. Tem como objetivo geral trabalhar com os alunos a vivência do maculelê e com a diferença étnica racial. E por objetivos específicos oportunizar ao aluno o conhecimento da cultura afro brasileira; Valorizar a cultura local em todo o seguimento escolar; Desenvolver atividades artísticas e corporais, com elementos de interação e educação. Na sala de aula trabalhamos com os conhecimentos afros e a ética racial atingindo a liberdade corporal com um conjunto harmônico trabalhando a autoestima e a inclusão social. Escolhemos como metodologia trabalhar em sala de aula de uma forma simples, didática e lúdica, buscando a conscientização e resgatando a cultura negra. Este tema antes, era trabalhado somente em aulas de história como a escravidão negra no Brasil e agora em uma nova abordagem, em artes visuais, respaldada pela lei 10.639/03 que define a obrigatoriedade do ensino da história e a cultura afro-brasileira e africana, em todas as escolas públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio. Esperamos que este projeto e relatório contribua para a nossa própria formação, a de outros professores, bem como a formação dos alunos e o fortalecimento de valores relacionados a pluralidade cultural e a igualdade entre os seres humanos.

Palavras-chave


Maculelê; Afro; Aula; Alunos; Cultural



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC