IMPETIGO CROSTOSO

Jéssica Telli

Resumo


A Unidade Educacional Eletivo, dentro do curso de graduação em medicina da UNIPLAC, é um período de aprendizado onde, das 200 horas disponibilizadas à esse instrumento, 120 são direcionadas à prática e convívio com um profissional médico e área de especialidade escolhidos pelo aluno; essa escolha ocorre conforme as ambições e vontades de cada estudante. Através do convívio diário com a clínica pediátrica, obtive contato com temáticas até então desconhecidas por mim; o que mais chamou a minha atenção foi o caso o de um paciente do sexo feminino, de oito anos de idade, que fora acometida por uma lesão de pele intensa diagnosticada como impetigo crostoso, cujo atendimento acompanhei durante a estadia prática na UBS de Campo Belo do Sul. A fim de fazer uma reflexão sobre a importância desta comorbidade, entende-se que a pele é o maior órgão do corpo e indispensável para a vida humana; através de sua barreira física entre os órgãos e o meio externo, protege e participa das funções vitais do organismo. É relevante ainda que, dentro da especialidade médica de pediatria a infecção bacteriana de pele constitui o diagnóstico isolado mais comum em crianças com problemas de pele, responsabilizando-se por 17% de todas as consultas médicas; a infecção bacteriana mais comum da pele em crianças é o impetigo, que perfaz, aproximadamente, 10% de todos os problemas de pele. Dessa forma, considerando a incidência de infecções bacterianas de pele na população, bem como sua relevância na saúde de crianças, este estudo tem como objetivo fazer uma revisão bibliográfica em cima de materiais e estudos já desenvolvidos e publicados a cerca do impetigo crostoso. Para possibilitar tal estudo, buscou-se apoio e referências em artigos científicos publicados através das plataformas de periódicos: SciELO, LILACS e PubMed utilizando como palavras-chave Streptococcus pyogenes, impetigo crostoso, Streptococcus do grupo A, infecção bacteriana de pele, pioderma estreptocócico. Além disso, o apoio ao estudo ocorreu em livros de anatomia clínica, histologia clínica, semiologia médica e Tratados de Pediatria. Dessa maneira, foi possível recorrer ao conteúdo teórico de 9 livros e outros 5 artigos científicos publicados entre os anos de 2013 a 2015. O pioderma estreptocócico (impetigo) ocorre quando a pele está exposta, o que aumenta a probabilidade de ocorrerem escoriações e picadas de insetos, facilitando dessa maneira a colonização da pele anteriormente sadia e o desenvolvimento da dermatite; contudo, as lesões impetiginosas ocorrem em locais de ferimentos abertos e expostos, pois o estreptococo do grupo A não é capaz de penetrar a pele intacta; sua disseminação ocorre pele a pele. O impetigo crostoso é, portanto, uma infecção cutânea contagiosa comum em crianças, que se caracteriza por lesões pustulares e encrostadas; pústula ou vésico-pústulas ou erosão coberta por secreção que forma uma crosta melicérica aderente de cor caramelo-sangue, as quais medem cerca de 1 cm de diâmetro, com orla eritematosa. Assim, conclui-se que tanto o tema discutido com o período de práticas e estudos do cenário educacional são relevantes para a evolução e amadurecimento acadêmico.

Palavras-chave


Streptococcus pyogenes, impetigo crostoso, Streptococcus do grupo A, infecção bacteriana de pele, pioderma estreptocócico.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC