DOENÇAS BENIGNAS DAS VIAS BILIARES – REVISÃO DE LITERATURA

Mauricio Camargo Ribeiro

Resumo


Introdução: Trata-se de um estudo desenvolvido durante a realização do estágio da Unidade Educacional Eletivo (UEE) do 5º ano do curso de Medicina da Uniplac, realizado nas áreas de clinica médica e cardiologia, no ano de 2015, em um hospital geral do município de Lages/SC. O estudo é sobre problemas comuns na rotina da clínica médica, focado nas doenças benignas das vias biliares e justifica-se uma vez que, durante a UEE muitos casos de dor biliar apareceram e se revelaram como litíase biliar e de vias biliares, colecistite e eventualmente como colangite. Na parte cardiológica do estágio, a dor com características de biliar mostrou-se em um caso que fora incomum, sendo este uma Angina Instável, que devido à dor similar à biliar apresentava-se atípica. Objetivo: Este trabalho objetiva apresentar os principais sinais e sintomas de afecções biliares, visando auxiliar no desenvolvimento de um método fácil de linha de raciocínio para diagnóstico rápido e preciso dessas afecções. Método: Foi realizada uma revisão de literatura em livros considerados importantes tanto para a cirurgia, quanto da clinica médica, sendo destaques o ROMA III (2013) que atualizado para a pesquisa de sinais e sintomas do trato gastrointestinal e o livro de clínica médica da USP (2012) com atualizações nacionais sobre os assuntos. Os resultados encontrados apontam que para a elucidação do tema é necessário o conhecimento da Vesicula biliar, que é um órgão com a função de reservatório de bile, e como apenas reservatório a mesma não realiza a produção de bile. Já a dor biliar tem aspectos que a definem: mostra-se de forma constante, geralmente localizada em região de abdome superior (hipocôndrio direito e epigastro); com irradiação para ombro direito (região dorsal superior, escápulas) ou tórax posterior (entre escápulas); desencadeada por refeições ricas em gorduras; com duração variável de uma até seis horas; associada a náuseas, vômitos, distensão abdominal e eructação; e apresenta uma discreta dor na palpação de hipocôndrio direito durante o exame físico. Considerações Finais: Com uma linha de pensamento simples associado ao conhecimento adequado e atenção para como o paciente apresenta-se, é possível fazer o diagnóstico das doenças benignas das vias biliares, ou pelo menos exclui-las do diagnóstico diferencial, visto que são patologias comuns e seu reconhecimento torna-se simples se o examinador tiver na mente a característica peculiar de cada uma.

Palavras-chave


Clínica médica; Litíase biliar; Colangite; Colecistite.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC