“SEXUALIDADE: VAMOS FALAR SOBRE O ASSUNTO?” RODAS DE CONVERSA DO PET SAÚDE/REDE CEGONHA NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA.

Vanessa Cruz Correa, Suian De Liz

Resumo


Trata-se de um relato de experiência acadêmica acerca do projeto de extensão “Sexualidade: vamos falar sobre o assunto?” realizado no primeiro semestre de 2015 por preceptores e acadêmicos (Enfermagem, Medicina e Odontologia), integrantes do PET Saúde/Rede Cegonha/UNIPLAC. A gravidez na adolescência é considerada de risco, pois o corpo da menina não está completamente formado, além de encontrar-se psicologicamente despreparada para ser mãe. Com consequências negativas para a saúde, a gravidez precoce pode gerar conflitos familiares e sociais, logo os adolescentes necessitam de cuidado, atenção e apoio dos pais, professores e profissionais da saúde. Para evitar a gravidez na adolescência é necessário esclarecer as dúvidas e informar aos adolescentes em relação à vivência saudável e consciente da sexualidade, pois muitos têm vida sexualmente ativa, porém verbalizam dúvidas relacionadas a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST’s) e gestação indesejada. A escola parece ser o ambiente favorável para abordar esta questão. O objetivo do projeto foi promover a educação em saúde, abordando o tema sexualidade entre adolescentes de quinto a oitavo ano do ensino fundamental de escolas da Rede Municipal e Estadual de Educação de Lages/SC de modo a favorecer a transição da infância para a idade adulta com responsabilidade e escolhas conscientes. Os estudantes participaram de 3 encontros. A metodologia utilizada foi a Roda de Conversa, com discussões sobre sexualidade, planejamento familiar, gravidez na adolescência, DSTs e perspectivas de futuro. Os adolescentes relataram dúvidas a respeito da sexualidade, opção sexual, uso dos métodos contraceptivos e DST’s mais comuns. Verificou-se que muitos adolescentes não têm um bom convívio familiar e raramente abordam assuntos relacionados à sexualidade. Evidenciou-se a falta de perspectiva relacionada ao futuro, incerteza acerca da importância da conclusão do ensino médio ou profissionalizante. Curiosamente, algumas meninas relataram que se estivessem grávidas ficariam contentes com a notícia de ser mãe. Esta afirmação levou o grupo para uma profunda reflexão acerca das responsabilidades, impacto e consequências de tornar-se mãe precocemente. A metodologia da Roda de Conversa conduziu as discussões de forma dinâmica, contribuiu para que a temática fosse discutida de maneira clara e acessível aos adolescentes além de favorecer a relação interpessoal e a comunicação entre os acadêmicos, profissionais de saúde, professores e adolescentes. Os adolescentes relataram a insatisfação acerca do método tradicional de ensino (aulas, palestras) evidenciando a necessidade de educadores e equipes de saúde repensarem a metodologia de ensino vigente nas escolas. A avaliação das Rodas de Conversa aconteceu no último encontro, quando foi aplicado um “quizz” (jogo de perguntas e respostas). Evidenciaram-se excelentes resultados com média de acertos de 90% a respeito do que foi trabalhado nos encontros. Conclui-se que a educação sexual é um dos temas transversais que devem compor o currículo do ensino fundamental, contudo, devem-se contemplar metodologias ativas de aprendizagem, de modo a envolver o adolescente valorizando principalmente seu conhecimento, portanto é imprescindível a curricularização deste tipo de projeto.

Palavras-chave


sexualidade, gravidez na adolescência, Rodas de Conversa



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC