GESTAÇÃO DE RISCO: PERCEPÇÃO DAS GESTANTES

Djenifer Cristine de Souza Mezzalira, Jamile Perin, Suian de liz Gonzaga dos Santos

Resumo


A gravidez ocasiona alterações emocionais e fisiológicas na mulher, pois ocorrem mudanças no corpo, no ambiente familiar e nas relações interpessoais. Alguns fatores podem desequilibrar ainda mais a frágil estrutura emocional de uma gestante, dificultando o seu processo de adaptação aos desafios impostos pela gravidez. O medo é um sentimento que ronda a existência das gestantes, pois vai entrando em suas vidas e roubando-lhes a paz, o sossego e a tranquilidade. As gestantes vivem na dúvida, na inconstância, na incerteza, não sabem o que acontecerá com elas ou com seus filhos numa situação considerada de alto risco. A pré-eclâmpsia continua sendo a primeira causa de morte materna no Brasil e determina o maior número de óbitos perinatais. Uma vez identificados quaisquer sintomas sugestivos da pré-eclâmpsia, será necessário uma monitoração mais rigorosa da pressão arterial até que se chegue ao diagnóstico definitivo e inicie o tratamento adequado. Trata-se de um estudo qualitativo descritivo, desenvolvido como requisito para a conclusão do Curso de Graduação de Enfermagem da UNIPLAC. Tem como objetivo principal descrever as percepções acerca da gestação e pré-natal entre gestantes com pré-eclâmpsia internadas em determinada maternidade da Região da Serra Catarinense. Como objetivos específicos o estudo pretende-se identificar características socioeconômicas das gestantes; identificar o que a gestante conhece sobre a doença que induziu a internação de risco; conhecer o fluxo de atendimento da gestante entre a atenção básica e hospitalar após o diagnóstico da gestação de risco; levantar a atuação do enfermeiro no pré-natal ambulatorial após a identificação da gestação de risco. A proposta segue os preceitos éticos da pesquisa com seres humanos, baseado na resolução 466/2012 do CNS e foi aprovada pelo comitê de ética sob o protocolo CAE nº47208715.9.0000.5368. A coleta de dados será realizada no HTR no período de 23 de setembro de 2015 a 30 de outubro de 2015, tendo como sujeitos gestantes com idade igual ou superior a 18 anos que estejam internadas na unidade de tratamento de gestantes de alto risco. A metodologia de coleta de dados será através da aplicação de entrevista semiestruturada, bem como da observação da participante, do diálogo e das impressões dos pesquisadores que estarão baseados em questões norteadoras registradas em diário de campo. A análise e interpretação dos dados se dará posteriormente à etapa de coleta de dados e utilizará a análise de conteúdo. Espera-se que os resultados desta pesquisa sirvam como importante subsídio à equipe multiprofissional da maternidade e da atenção básica, especialmente no que se refere à qualidade e atenção no atendimento oferecido à mulher. O estudo pretende oferecer ao enfermeiro informações que auxiliem-no para planejar e oferecer o cuidado garantindo apoio, motivação e orientações de como prosseguir com uma gestação de risco, de modo planejado, científico, atento, acolhedor e humanizado.

Palavras-chave


gestação de risco; cuidado; enfermagem.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC