NEUROCRIPTOCOCOSE: UMA BREVE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Rafaela Mafaciolli

Resumo


Este estudo trata-se de uma revisão bibliográfica sobre neurocriptococose. O estudo originou-se a partir do estágio da Unidade Educacional Eletivo do 5º ano do curso de Medicina, desenvolvido entre os meses de junho e julho de 2015, no Instituto de Infectologia Emílio Ribas (IIER), em São Paulo/SP. O estágio teve como propósito geral ampliar conhecimento na área de Infectologia, junto à equipe de médicos e residentes de Infectologia do IIER, visando compreender o diagnóstico e tratamento das doenças infecciosas e parasitárias. Sobre a área de infectologia a Sociedade Brasileira de Infectologia, refere que o especialista em infectologia, contando com um amplo conhecimento diversificado, atua em diferentes campos da saúde, no diagnóstico e enfrentamento das epidemias, no estudo das doenças emergentes e reemergentes, entre outras frentes relacionadas aos processos infecciosos. O objetivo geral deste estudo é apresentar, uma breve revisão bibliográfica sobre Neurocriptococose, visando socializar conhecimento sobre o tema. Para realização deste, foram revisadas 7 obras literárias, e 3 artigos científicos, escritos entre os anos de 1997 e 2013, sendo consultadas as bases: Veronesi - Tratado de Infectologia; Goldman - Cecil: tratado de medicina interna; Lindoso - Infectologia Ambulatorial: Diagnóstico e tratamento; Liu - Systematic genetic analysis of virulence in the human fungal pathogen Cryptococcus neoformans; Longo - Medicina interna de Harrison; Martins - HC FAMUSP: clínica médica; Merrit: Tratado de neurologia; Pinto - A Criptococose meníngea em doentes com infecção HIV; Salomão - Infectologia: Guia de medicina ambulatorial e hospitalar; Vidal - Diagnostic Microbiology and Infectious Disease: Role of quantitative CSF microscopy to predict culture status and outcome in HIV-associated cryptococcal meningitis in a Brazilian cohort. Como resultados, destaca-se que, ao longo da última década, as doenças fúngicas têm aumentado devido à expansão da população de indivíduos imunodeprimidos, especialmente nos países em vias de desenvolvimento. O fungo Cryptococcus neoformans é uma das principais causas de mortalidade e morbidade entre os indivíduos infectados pelo HIV. Há mais de 100 anos este, foi descrito pela primeira vez em uma lesão tibial de um paciente. A maioria dos pacientes apresenta um quadro de meningoencefalite subaguda com febre, náusea, vômito, alteração do estado mental, cefaléia e sinais meníngeos. A doença em pacientes não tratados costuma ser fatal em alguns meses, mas ocasionalmente persiste por vários anos, com remissões e exacerbações recorrentes. Ocasionalmente, fungos foram encontrados no LCR por 3 anos ou mais. A cura espontânea foi relatada em alguns casos. Como resultado desta revisão conclui-se que a meningite criptocócica é uma enfermidade causada por um fungo e muito comum, de fácil diagnóstico e tratamento, porém se torna grave à medida que o tempo passa. Portanto são de grande importância o diagnóstico rápido e um tratamento eficaz.

Palavras-chave


Medicina Clínica; Infectologia; Criptococose.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC