PADRÕES RADIOLÓGICOS DE LESÃO DE DOENÇAS PULMONARES INTERSTICIAIS DIFUSAS

Artur Carsten Amaral, Mônica Nogara Borges de Menezes

Resumo


Desenvolvida a partir da experiência acadêmica vivenciada em serviços médicos de Diagnósticos por Imagem, esta revisão bibliográfica visa aprimorar o conhecimento sobre as Doenças Pulmonares Intersticiais Difusas (DPID), especialmente quanto às bases do seu diagnóstico radiológico. O objetivo é apresentar uma abordagem geral sobre os conceitos, etiologias e as respectivas descrições radiográficas dos cinco principais padrões de lesão observados em imagens diagnósticas de pacientes com DPID. A metodologia utilizada foi a pesquisa em livros clássicos de radiologia, patologia e periódicos científicos, utilizando como palavra-chave o termo Doenças Pulmonares Intersticiais. O estudo foi idealizado e planejado a partir da experiência acadêmica e prática na área de Radiologia e Medicina Nuclear durante a Unidade Educacional Eletivo do curso de medicina, durante o mês de junho/2015. As DPIDs caracterizam-se como um grupo heterogêneo de patologias marcadas por inflamação e fibrose do tecido conjuntivo pulmonar e representam 15 a 20% das doenças pulmonares não infecciosas. As etiologias são variadas e muitas são de considerável raridade (KUMAR, 2010; MARQUES, 2010). O diagnóstico é difícil e exige treinamento em radiologia para identificação de padrões intersticiais através de radiografia de tórax e Tomografia Computadorizada de Alta Resolução que orientem o diagnóstico diferencial (BALDI, 2012). O padrão linear (septal) resulta de espessamento de septos interlobulares e se apresenta como linhas de Kerley, perpendiculares à pleura e ao hilo pulmonar. O padrão nodular indica presença de múltiplos pequenos nódulos resultantes de espessamento irregular do interstício. O padrão reticular apresenta imagens com inúmeras opacidades lineares entrelaçadas e é clássico da fibrose pulmonar. O padrão cístico demonstra espaços circunscritos contendo ar consequente à dilatação de bronquíolos respiratórios. O padrão de opacidade em vidro fosco reflete discreto aumento da atenuação do parênquima e associa-se com etiologias agudas e reversíveis (ELICKER, 2008; MARQUES, 2010; MCLOUD, 2010; SILVA, 2011, MARCHIORI, 2015). A revisão baseada em diversos estudos permitiu concluir que, diante da inespecificidade de apresentações clínicas das DPIDs, o reconhecimento dos seus padrões radiológicos é uma ferramenta essencial para o diagnóstico, permitindo eleger a conduta adequada e instituir o tratamento correto ao paciente.

Palavras-chave


Doenças Pulmonares Intersticiais; Técnicas de Diagnóstico do Sistema Respiratório; Radiologia; Pneumologia



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC