USO DE ESTEROIDES ANABOLIZANTES EM PACIENTES COM DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

Gabriela Gomes Paes

Resumo


Este estudo tem como base uma experiência acadêmica vivenciada na Unidade Educacional Eletivo em julho de 2015, onde acompanhou-se médicos na área de Pneumologia no Hospital e Maternidade Tereza Ramos. Esta revisão aborda o uso de esteroides anabolizantes em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). A escolha do tema deu-se por achar interessante a conduta do médico a um dos pacientes a fim de se obter um ganho de peso à custa de aumento da massa magra, bem como melhorar sua função pulmonar e consequentemente a qualidade de vida do mesmo. O objetivo é apresentar primeiramente a respeito de quais alterações ocorrem na musculatura de um individuo com DPOC e depois abordar sobre os esteroides anabolizantes, desde sua definição, mecanismo de ação, até efeitos colaterais e quando e por qual motivo ele é usado nesses pacientes. Trata-se de um relato de experiência com base científica a partir da consulta a sete artigos científicos na área de pneumologia, com os seguintes descritores: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, Anabolizantes e Oxandrolona, publicados entre os anos de 2004 e 2011. A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada pela presença de obstrução crônica ao fluxo aéreo, que não é totalmente reversí­vel e está associada a uma resposta inflamatória do pulmão a partículas e/ou gases nocivos, sendo o tabagismo a principal causa. Além da inflamação crônica da via aérea, foi verificado também a presença de células inflamatórias ativas e um aumento dos níveis plasmáticos de citocinas pró-inflamatórias na circulação sis­têmica, que associado ao estresse oxidativo, contribuem para as alterações nutricionais e disfunção musculoesquelé­tica nos pacientes com DPOC, ambas colaborando para a baixa capacidade ao exercício. Uma das principais manifestações extrapulmonares da DPOC é disfunção dos músculos esqueléticos periféricos. Em relação aos músculos respiratórios, estes também sofrem um enfraquecimento, devido às alterações geométricas da parede torácica, do volume pulmonar, fatores metabólicos sistêmicos, mudanças no tamanho da fibra muscular, alterações de massa e metabolismo. Os possíveis mecanismos para as alterações musculares são: diminuição crônica do condicionamento, desnutrição, miopatia por uso crônico de corticosteroides, baixos níveis de hormônios anabólicos circulantes, redução do metabolismo de aminoácidos, inflamação local e sistêmica e estresse oxidativo. Os esteróides anabólicos androgênicos são derivados sintéticos do hormônio testosterona e foram desenvolvidos com finalidades terapêuticas, sendo utilizados no tratamento de várias doenças. O uso dos esteroides anabólicos na clinica médica ocorre quando o objetivo é aumentar a síntese proteica. Em pacientes com DPOC, o uso de suplementações hormonais e proteicas visa benefícios ergogênicos, especialmente aqueles relacionados com o aumento da síntese e/ou diminuição do catabolismo proteicos. A correlação entre redução da massa muscular e mortalidade em pacientes com DPOC poderia justificar o uso de esteróides nesta população, já que a suplementação com estas substâncias se mostrou eficiente em aumentar o peso corporal e a massa muscular.

Palavras-chave


Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica;Anabolizantes;Oxandrolona.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC