RELATO DAS VIVÊNCIAS DURANTE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PET-RUE NO ASILO VICENTINO

Keila Paola Schlischting Antunes, Nayara Lisboa, Alice Gerber, Caroline Bertuol

Resumo


Este trabalho trata-se de um relato de experiência, no qual tem por objetivo descrever a experiência das atividades desenvolvidas pelo grupo de Fisioterapia no projeto Programa de Educação para o Trabalho PET - REDES Rede de Urgência e Emergência, atividades realizadas no período de 2013 à 2015, sendo elas desenvolvidas nas Unidades de Saúde de Lages e Asilo Vicentino. Os resultados evidenciaram que a atuação fisioterapêutica na Atenção básica visa melhorar a qualidade de vida, promovendo e prevenindo a saúde, conforme diretrizes propostas pelo Sistema Único de Saúde - SUS. O Programa PET - REDES Rede de Urgência e Emergência vem como uma estratégia de ensino-serviço que permitiu às alunas uma maior reflexão aos problemas de saúde enfrentados na atenção básica e asilo vicentino de lages. Nossas experiências se efetivaram na entrado ao asilo, pois através de nossa permanência no mesmo, foi aprovada a implementação de um ambulatório de enfrentamento ao AVC pela FAPESC. Entramos desenvolver pesquisas e atendimentos fisioterapêuticos no asilo em maio de 2015, em três meses avaliamos, realizamos grupos de treinamento funcional e individuais aos idosos. Em julho de 2015 uma avaliadora do Ministério da Saúde veio até Lages para conhecer nossas vivências e o campo em que atuamos, para isto foi encaminhada com as Tutoras e Coordenadora do PET até o asilo. Neste dia a diretora do asilo comentou sobre a rotina do asilo e as patologias mais frequentes ali encontradas. Foram priorizados para atendimento idosos com sequelas de Acidente Vascular Cerebral e pacientes ativos, visando a prevenção de perdas motoras devido à idade. Em nossas avaliações observamos a preensão palmar, índice de quedas através do teste de Tinet e funcionalidade através do Índice de Barthel, obtivemos como resultados dos 47 idosos, 08 idosos com escore de independência, 20 idosos com escore ligeiro, 08 com escore moderado, 10 com escore grave e 01 com escore muito grave. 19 idosos com risco alto de quedas e 27 idosos com baixo risco de quedas. Na preensão palmar todos os idosos tiveram escore muito fraco, sugerindo risco para sarcopenia.

Palavras-chave


Fisioterapia; Saúde Pública; Geriatria



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC