AVALIAÇÃO DA SONOLÊNCIA DIURNA E QUALIDADE DO SONO EM ESTUDANTES MEDICINA DE CIDADE DE MÉDIO PORTE DO SUL DO BRASIL

Gustavo Montibeller da Silva, Fernando Arruda Ramos

Resumo


Introdução: A qualidade do sono é parte integrante de uma vida saudável, noites de sono mal dormidas podem traduzir-se em prejuízos cognitivos como diminuição da capacidade de fixar e manter a atenção, perda da capacidade de planejamento estratégico, prejuízo da memória, prejuízos motores, impulsividade e raciocínio deteriorado, aumento do cortisol e diminuição na imunidade, resultando em prejuízos nos estudos, no trabalho, nas relações familiares e sociais. Estudantes de medicina representam um grupo socialmente predisposto a alterações no ciclo sono-vigília. Mudanças ambientais, sociais e compromissos curriculares, limitam a interação sono-vigília, pois os estudantes acabam tendo que decidir entre manter a qualidade do sono, satisfazendo suas necessidades, ou atender aos esquemas acadêmicos e curriculares. Objetivos: O presente estudo tem por objetivo conhecer e avaliar a qualidade do sono dos estudantes do curso de Medicina da Universidade do Planalto Catarinense por meio de questionário padronizado. Método: Esse é um estudo financiado pela bolsa de iniciação cientifica do artigo 170. Na expectativa de avaliar a qualidade do sono dos acadêmicos do curso de medicina, optou-se por um estudo quantitativo feito através de um corte transversal de caráter analítico. Este estudo será realizado através de questionários autoaplicáveis do Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) e da Escala de Sonolência de Epworth (ESE). Serão inclusos estudantes de medicina da Universidade do Planalto Catarinense de ambos os gêneros, que assinaram o termo de consentimento Livre e esclarecido (TCLE), que tenham idade maior ou igual há 18 anos e que não se enquadrem em algum dos critérios de exclusão da pesquisa. Sendo que, este projeto ainda aguarda a aprovação do comitê de ética em pesquisa(CEP), pelo número de protocolo 087742/2015. Considerações: A raça humana é adaptada a exercer suas atividades na fase clara do ciclo claro/escuro e repousar durante a fase escura. O Sono envolve grande número de estruturas sediadas em todos os níveis do sistema nervoso. Estes se localizam na formação reticular do tronco cerebral, sua continuação por meio do paleotálamo e o sistema límbico interligam-se em circuitos múltiplos, apesar de toda a distribuição anatômica a formação reticular do tronco cerebral, e especialmente a do diencéfalo, pode ser considerada o centro funcional do sono. A privação de sono é um problema crônico das sociedades modernas, ela aparece como uma importante causa de baixa imunidade, elevando o risco em longo prazo para desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes, e doenças neurodegenerativas como a doença de Alzheimer e esclerose múltipla. Estudos com crianças evidenciam que a privação de sono traduz-se em menores notas em testes escolares, diminuição do quociente verbal, do desempenho escolar, menor compreensão verbal e menor fator de memória/atenção. Estudos internacionais com acadêmicos de medicina e médicos residentes mostram que a privação de sono apresenta uma diminuição da capacidade de julgamento, onde as tarefas mais complexas demonstraram maior prejuízo global, levando a uma maior taxa de erros além de que estes apresentam pior perfil de proteínas de alta densidade e maior ganho de peso quando comparados com pessoas com boa qualidade de sono.

Palavras-chave


Estudantes de Medicina; Transtornos do Sono do Ritmo Circadiano; Sono; Privação do Sono



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC