JOGOS MATEMATICOS NA EDUCAÇÃO INFANTO JUVENIL

Evelyn Oliveira dos Santos, Carla Marizelia Neri

Resumo


A ideia da realização deste projeto – JOGOS MATEMATICOS NA EDUCAÇÃO INFANTO JUVENIL, surgiu na busca de novas alternativas para promover o conhecimento matemático de um modo mais interessante, através de competições, jogos, testes e brincadeiras. Público alvo: alunos do Ensino fundamental, com os quais estamos trabalhando e desenvolvendo o projeto no período de aproximadamente três meses na E. E. E. Lucia Fernandes Lopes, abrangendo 20 alunos, acompanhados de um professor responsável. A aplicação de atividades diferenciadas em sala de aula surge como uma oportunidade de socializar os alunos, buscando a cooperação mutua, participação de todos na busca incessante de elucidar o problema proposto pelo professor. A ideia principal é não deixar o estudante participar da atividade de qualquer jeito, devemos traçar objetivos a serem cumpridos, metas a alcançar, regras gerais que deveram ser cumpridas. A utilização de atividades lúdicas na matemática e de materiais concretos é totalmente relacionada ao desenvolvimento cognitivo da criança. Há de se refletir que alguns conteúdos específicos da matemática não possuem relação com a ideia de serem aplicados utizando jogos, mas de certa forma promovem um senso crítico, investigador, que ajuda na compreensão e entendimento de determinados tópicos relacionados ao ensino da Matemática. O projeto ainda está em desenvolvimento e analise, mas, até o momento os resultados foram compensador. Houve uma avaliação positiva em todos os sentidos, aquisição de conhecimento, interação entre os alunos, promovendo melhor aproveitamento de aprendizado coletivo. Temos como objetivo geral deste projeto trabalhar os conteúdos de forma diferenciada de maneira que desperte o interesse do aluno promovendo um contato mais próximo com a Matemática. Mostrar métodos atrativos e mais envolventes de aprender os conteúdos. A proposta de atividades diferenciadas em sala de aula é muito importante para o desenvolvimento social, pois existem alunos que se “fecham”, tem vergonha de perguntar sobre determinados conteúdos, de expressar duvidas, a matemática se torna um problema para eles, e nosso objetivo é transformar o “bicho papão” ( que é a matemática), no mais fiel amigo. Diante das dificuldades observadas pela professora, esperamos poder ajudar de forma significativa no aprendizado das crianças, desenvolver nas crianças a capacidade de raciocinar e colocar em pratica essa sua capacidade de resolver situações- problemas, caracterizando objetos e buscando uma linha de resolução baseada em elucidações próprias.

Palavras-chave


jogos, raciocínio, aprendizagem



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC