TRANSTORNOS MENTAIS DE ESTUDANTES DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR – IMPLICAÇÕES COM O PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM

Estela Maris Camargo Bernardelli

Resumo


O presente estudo objetivou compreender a relação entre os transtornos mentais desencadeados em estudantes universitários com os processos de ensino e aprendizagem de um curso de formação superior de uma universidade pública situada na região sul do Brasil, realizado no ano de 2014. A instituição de ensino superior está situada na região sul do Brasil. É denominada campus III dos doze centros de ensino da universidade e oferece quatro cursos de graduação na modalidade presencial. Na perspectiva desta investigação, estabeleceu-se a suposição de que possa existir articulação entre a eclosão de transtornos mentais e o rendimento acadêmico dos estudantes e, que esta relação possa ser permeada pela questão metodológica do ensino. Cabe destacar que a universidade, primeiro necessita ser pensada como um espaço institucional de educação, de geração do saber, de construção do conhecimento, do saber a partir da pesquisa, da discussão de questões teóricas e práticas, bem como a divulgação desse saber, por meio do ensino. O processo de ensino é uma atividade correlata ao aprender. Ensinar é promover mudança de forma dinâmica em relação com o saber. A aprendizagem envolve um processo cognitivo, individual, podendo impactar emocionalmente nos estudantes diante de situações mobilizadoras como processos avaliativos e reprovações, considerado fator etiológico para o surgimento de transtornos mentais. Trata-se de pesquisa qualitativa cujo instrumento para a coleta de dados utilizado foi a entrevista focalizada em uma amostra total de oito estudantes matriculados no sétimo e oitavo semestre de um curso de formação em graduação. Também, três professores que ministram disciplinas na instituição pesquisada. A seleção dessa população ocorreu após pesquisa documental sobre os índices de aprovação/reprovação dos estudantes, com taxas de reprovação superior a 50% dos matriculados semestralmente em duas disciplinas específicas de um dos quatro cursos de graduação, como forma de identificar o curso(s) e disciplina(s) com maior índice de reprovação(retenção). Na categorização e análise de dados a escolha se deu pela síntese da análise de conteúdo qualitativa. Os resultados foram analisados com o auxílio do software denominado MAXQDA (Qualitative Data Analysis Software for Windows). Os resultados obtidos confirmam que o elevado índice de reprovação dos estudantes relaciona-se ao ingresso na fase profissionalizante do curso. Nos processos de ensino e aprendizagem, quanto aos métodos de ensino dos professores, predominam as aulas teóricas e expositivas; a avaliação ocorre centrada prioritariamente no estudante dependendo deste, o sucesso e o fracasso. Os docentes apresentam uma visão da pedagogia tradicional, onde a aprendizagem é mecânica e receptiva. No relacionamento professor/estudante predomina o autoritarismo e exclui-se qualquer relação dialógica e comunicativa, fundamentais no processo de aprendizagem. Quanto aos transtornos mentais, estão diretamente relacionados ao processo ensino e aprendizagem sendo identificado entre os discentes, o Transtorno de Ansiedade. Os docentes não percebem quadros patológicos nos estudantes. Conclui-se a necessidade de adoção de estratégias institucionais para intervir sobre o sofrimento manifestado pelos estudantes, com ações preventivas e promotoras de saúde.

Palavras – chave: Graduação; Ensino e aprendizagem; Transtornos mentais; Estudantes.

Palavras-chave


Graduação; Ensino e aprendizagem; Transtornos mentais; Estudantes.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC