Aspectos Gerais De Pneumotórax

Mariana Camargo Kauling

Resumo


Esta revisão bibliográfica visa apresentar uma visão geral sobre o Pneumotórax analisando suas características clínicas e reforçando sua importância diagnóstica diante das repercussões fisiológicas pela restrição ventilatória que causa ao paciente acometido. O objetivo é apresentar definição, critérios e exames para diagnóstico, manifestações clínicas, fisiopatologia, consequências fisiológicas e conduta. A metodologia utilizada na revisão foi pesquisa em livros de clínica médica e periódicos científicos da área de pneumologia onde utilizou-se como palavras-chave Pneumologia e Pneumotórax, constituindo a amostra de cinco fontes bibliográficas. O estudo foi originado a partir de uma experiência acadêmica na área de Clínica Médica durante a Unidade Educacional Eletivo do curso de medicina, durante o mês de julho/2014. Pneumotórax significa a presença ou acúmulo de ar na cavidade pleural, como consequência da perda da integridade das pleuras. Ocorre uma interposição gasosa no espaço pleural, que se situa entre os folhetos pleurais pulmonares (LOPES,2007). Baseado nas causas dessa perda da integridade das pleuras, o pneumotórax é classificado em espontâneo (primário ou secundário) e não espontâneo (traumático). O pneumotórax espontâneo primário ocorre em pacientes sem doença pulmonar subjacente ou evidente, enquanto que o secundário surge como complicação de doença pulmonar previamente conhecida ou em curso (ANDRADE, 2006). O diagnóstico do pneumotórax se baseia na história clínica, no exame físico e na análise dos exames radiológicos. Normalmente, o pneumotórax ocorre com o paciente em repouso. Os principais sintomas são a dor torácica, de início agudo e de localização ipsilateral, e a dispneia. A dispnéia é proporcional à magnitude do pneumotórax, a velocidade do acúmulo do ar, ao grau de colapso pulmonar e da reserva cardiopulmonar do paciente. Tosse e cianose podem estar presentes no início da sintomatologia (GOLDMAN, 2009). No exame físico o que nos chama atenção é a diminuição ou abolição do murmúrio vesicular e do frêmito tóraco-vocal. A expansibilidade torácica está localmente diminuída, com timpanismo à percussão. (LONGO et al, 2013). Quanto aos exames para diagnóstico, no pneumotórax espontâneo primário, a radiografia simples de tórax confirma a suspeita clínica pela presença de ar (linha de reflexão pleural visceral) na cavidade pleural. Em pneumotórax de pequenas proporções pode ser necessária uma radiografia obtida em expiração forçada, incidência lateral, ou ainda tomografia computadorizada de tórax (MARTINS, 2009). O tratamento de pacientes com pneumotórax é muito variável, a escolha da melhor opção vai depender de fatores como a intensidade dos sintomas e repercussão clínica, magnitude, provável etiologia, comorbidades pleurais associadas, doença pulmonar subjacente e persistência ou recorrência do pneumotórax (LONGO et al, 2013). A revisão sobre esta afecção possibilitou um melhor conhecimento e revisão de vários campos da medicina, desde a área semiológica para investigação diagnóstica até a elaboração de diagnósticos diferenciais dentro da medicina clínica, sendo então, de grande importância na formação médica.

Palavras-chave


Pneumologia. Pneumotórax. Medicina Clínica.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC