Uso de álcool e outras drogas em escolares no município de Lages, SC.

Priscila Dal Bosco Lorencet, Heloisa Sommer

Resumo


Introdução: A busca de respostas para a problemática do uso de álcool e drogas é de interesse da saúde pública ao nível mundial. Muitos estudos tem buscado evidenciar quais os fatores estão associados ao consumo abusivo de álcool e outras drogas. A revisão sobre o perfil os usuários no Brasil, demonstram que em sua maioria são jovens do sexo masculino, com baixo nível socioeconômico associados a presença de comorbidades como depressão e ansiedade. O pressuposto que norteia este projeto de pesquisa é fundamentado no aumento expressivo de usuários de álcool e outras drogas na população brasileira, e na população jovem em particular. Objetivos: Analisar o consumo de álcool e outras drogas entre os escolares de 8º e 9º anos da cidade de Lages – SC. Método: Foi realizado um estudo transversal na cidade de Lages, em que a população alvo, foram estudantes de 8º e 9º anos de escolas públicas do município. Resultados: Os dados mostraram que aos 14 anos mais da metade dos entrevistados já haviam tido contato com algum tipo de droga. A droga mais citada entre eles foi o álcool, consolidando os dados atuais levantados em nosso país. Além disso, os adolescentes que fizeram uso de outras drogas, possuem o uso de álcool associado. A segunda droga mais citada é o tabaco. O consumo de tabaco aumenta significativamente em adolescentes que têm outros comportamentos de risco, como o consumo de drogas ilícitas e álcool. O abuso de maconha entre adolescentes vem aumentando significativamente nas últimas décadas. Na amostra analisada o número de usuários da droga (7,7%) é semelhante aos atuais dados levantados pela Secretaria Nacional Antidrogas que demonstrou que 9% dos adolescentes já utilizaram maconha pelo menos uma vez. Como consequência do uso de álcool e drogas, problemas de saúde, morte, vicio e violência foram citados por eles. Porém grande parte relatou não saber as consequências, mostrando que ainda somos carentes de informação, propiciando assim o uso indiscriminado das drogas. O ambiente escolar e familiar foram os escolhidos como fonte de informação e apoio acerca do problema. Os programas de prevenção trazem benefícios para as pessoas, famílias, sociedade, bem como para o Estado, já que promove uma redução de gastos, pois o investido em prevenção gera economia no tratamento contra o consumo de álcool ou de outras drogas. Conclusão: Neste artigo foi demonstrado o alto índice de consumo de álcool e outras drogas pelos adolescentes e os fatores de risco ao uso, que dentre eles deve-se salientar a falta de informações. A percepção que o adolescente tem sobre os problemas decorrentes do consumo de álcool não acompanha, necessariamente, a hierarquia dos prejuízos considerados mais graves. Portanto a escola deve agir de forma ativa na formação destes adolescentes. Além disso, a abordagem deve ser multidisciplinar, já que envolve fatores sociais e familiares.

Palavras-chave


adolescência; álcool; drogas



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC