Relação Entre Organização Do Trabalho, Bem-Estar No Trabalho E Atitudes Retaliatórias No Contexto Laboral De Enfermeiros Que Atuam Na Esf

kellyn christina borges vargas, Lilia Aparecida Kanan

Resumo


Há referências na literatura de que as atitudes retaliatórias promovem perdas financeiras importantes para as organizações de trabalho. Além disto, encontra-se ainda, que tais atitudes são, em alguma medida, decorrentes de problemas na organização do trabalho. O bem-estar no trabalho é um aspecto que deriva da existência de condições ambientais e sociais satisfatórias, contraponto à presença de retaliação, por exemplo. Em razão destes aspectos que incidem no fazer profissional de Enfermeiros, o presente estudo, um projeto de dissertação de mestrado, tem como objetivo analisar a relação que se estabelece entre a organização do trabalho, o bem-estar no trabalho e a ocorrência de atitudes retaliatórias junto a Enfermeiros que atuam no contexto da Estratégia de Saúde da Família-ESF em um município de médio porte da Serra Catarinense. Especificamente pretende-se (a) caracterizar a percepção do enfermeiro em relação à organização do trabalho; (b) identificar o bem-estar no trabalho do enfermeiro; (c) verificar a ocorrência de atitudes retaliatórias em resposta às demandas/contexto do trabalho. A hipótese básica é que há uma relação entre bem-estar no trabalho, atitudes retaliatórias e organização do trabalho de enfermeiros que atuam na ESF. As secundárias são (a) o bem-estar no trabalho é uma consequência da organização do trabalho; (b) o bem-estar no trabalho influencia na ocorrência de atitudes retaliatórias. O percurso metodológico define a pesquisa como de natureza aplicada, quali-quantitativa, descritiva e assume o design de levantamento. Utilizar-se-á as escalas WHOQOL (OMS) e MARO (Mendonça e Tamayo, 2003) à coleta dos dados quantitativos e grupos focais, para os dados qualitativos. A amostra por conveniência, integrará enfermeiros da ESF. Na cidade há 37 unidades com esta característica. Participarão todos os profissionais que aceitarem participar voluntariamente do estudo e que estiverem em pleno exercício de suas funções profissionais. Assim, o estudo poderá envolver até 37 enfermeiros. Constituirão critérios de inclusão no estudo, o tempo de serviço superior a seis meses; ser profissional alocado na ESF; e aceitação de participação voluntária no estudo, em conformidade com a Portaria CNS 466/2012 que trata da ética em pesquisa com seres humanos. A pesquisa será encerrada caso 12 participantes (32,5%), no mínimo, não puderem ou quiserem participar. Os resultados esperados estão associados à possibilidade de proposição de intervenções aos gestores da saúde municipal que possam contribuir para minimizar condições prejudiciais ao bem-estar no trabalho de enfermeiros e, numa instância ampliada possam contribuir à qualidade do atendimento da população. Espera-se ainda identificar situações que possam favorecer a ocorrência das atitudes retaliatórias e consequente, produzir intervenções que as extingam ou as minimizem.

Palavras-chave


bem-estar no trabalho; organização do trabalho; atitudes retaliatórias



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC