Comunidade Terapêutica E Serviço Social

Audrilara Arruda Rodrigues Campos, Maeve Machado

Resumo


Este relato visa demonstrar a vivência do estágio curricular obrigatório do Serviço Social da UNIPLAC, realizado no período de março a setembro de 2014 na Comunidade Terapêutica CRENSA - Centro de Recuperação Nossa Senhora Aparecida, constitui-se um espaço para a reabilitação física e psicológica e reinserção social de homens portadores com transtornos decorrentes do uso de substâncias psicoativas (SPA), álcool e outras drogas, conhecidos também como dependência química. Enquanto estagiária observa-se que a dependência química é uma doença complexa, com causas e consequências de ordem biopsicossocial, sendo que o tratamento não deve ater-se apenas ao indivíduo, mas também estender-se à família e/ou grupo social no qual esteja inserido. O Serviço Social compreende a família como elemento essencial no processo terapêutico do interno, desta forma se realizam reuniões do P.A.F.(Programa de Atendimento Familiar) visando o conhecimento da realidade social, o resgate e/ou fortalecimento de vínculos familiares. No decorrer do estágio observa-se que o profissional de Serviço Social utiliza de instrumentais específicos da profissão como entrevista para avaliação do contexto familiar, visitas domiciliares, projeto de vida, atendimento individual ao interno e coletiva aos familiares. Diante disto, espera-se uma mudança no estilo de vida familiar e por consequência um retorno do residente ao ambiente familiar com maior segurança, num espaço familiar livre de convivência com situações de dependência química. A Comunidade Terapêutica CRENSA tem como metodologia espiritualidade, laborterapia, os doze passos, atendimento psicológico, atendimento social, oficinas de saúde, oficina de terapia ocupacional, orientação e apoio sociofamiliar aos adolescentes dependentes químicos e núcleo familiar, oficinas de discussão sobre as expressões da questão social, reuniões de prevenção da recaída, reunião de sentimento, reunião de auto-ajuda, momento lúdico e atividades esportivas e recreativas. O tratamento na Comunidade Terapêutica é de seis a nove meses podendo se estender, dependendo da situação que se encontra o interno. A reinserção social é o processo de reintegração do dependente químico na sociedade, a qual ocorre de modo gradativo e progressivo, por isso a importância do profissional do Serviço Social em Comunidade Terapêutica, pela necessidade de conhecer o contexto familiar e por consequência contribuir em todo processo de tratamento do residente.

Palavras-chave


Serviço Social, Comunidade Terapêutica, Dependência Química



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC