Percepção De Professores Sobre As Contribuições Da Psicologia Do Trânsito

Maria Karine Guasselli de Souza, Katyelle Tamara Ferrarez, Joselane Menegaz da Silva, Tatiane Muniz Barbosa

Resumo


Atualmente no Brasil, a atuação da Psicologia do Trânsito parece se restringir à avaliação da pessoa no processo de obtenção e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Porém, dados e indicadores diários mostram que a violência no trânsito é evidente em nosso País. Assim, acredita-se que a relevância social e cientifica dessa pesquisa são, respectivamente, a contribuição para a educação no trânsito e o impulso para essa nova área de atuação, sendo que é necessário pensar em todas as pessoas que formam o trânsito. O presente estudo teve como objetivo geral investigar quais as contribuições da Psicologia do Trânsito, conforme os professores de um curso de Psicologia, para cidade de Lages/SC. Esta pesquisa, de abordagem qualitativa, foi realizada com três professores, com titulação mínima de mestres, do curso de Psicologia de uma IES da região serrana de SC. O instrumento metodológico utilizado foi a entrevista semiestruturada, realizada em local e horário escolhidos pelos entrevistados e gravada em áudio com a permissão dos mesmos. Para este estudo não houve o parecer de aprovação do CEP por se tratar de um exercício de uma disciplina; porém, destaca-se que foram respeitadas as diretrizes da Resolução 466/12 do CNS, como a aplicação do TCLE, anonimato dos participantes, sigilo das informações e possibilidade de desistência da participação do estudo a qualquer momento e sem qualquer explicação. A análise e discussão dos resultados, feita por meio de análise de conteúdo, possibilitou verificar que a Psicologia do Trânsito ainda está fortemente relacionada à atuação dos Psicólogos no DETRAN com foco na realização do exame psicotécnico, que os cursos de graduação em Psicologia não contemplam essa ênfase em suas matrizes curriculares e que existem poucos estudos científicos nessa área. Os resultados evidenciam a importância das IES tomarem consciência acerca da necessidade de desenvolver e ampliar a psicologia do trânsito e criar campos de atuação nessa área. Aponta-se que essa é uma necessidade para a região Serrana de SC e para todo o País, visto que os problemas relacionados ao trânsito têm se intensificado nas últimas décadas. Diante desse cenário, percebe-se que ainda há muito a se percorrer para que a Psicologia do Trânsito contribua, de fato, para qualidade de vida das pessoas, com ênfase na educação do trânsito, e para diminuir os índices de violência no trânsito.

Palavras-chave


Psicologia, Educação e Trânsito.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC