Perfil dos pacientes com Hanseníase cadastrados na Vigilância Epidemiológica Lages – SC

Vanessa Sokoloski, Karine Bitencourt

Resumo


Este trabalho cujo delineamento é epidemiológico descritivo com corte transversal e quantitativo traz à tona a reflexão sobre a Hanseníase, sua prevalência e suas implicações no contexto psicossocial assim como a necessidade de investigação para diagnóstico precoce em pacientes com suspeição, por se tratar de uma doença com sequelas neurológicas irreversíveis, e quando diagnosticada de forma precoce e tratada as chances de cura são muito altas. O objetivo deste trabalho foi avaliar epidemiologicamente os pacientes cadastrados no ambulatório de Hanseniase da cidade de Lages SC através da Secretaria Municipal de Saúde de Lages SC. Os prontuários de todos os pacientes cadastrados no Setor de Hanseníase foram analisados e após a coleta desses dados foi realizado tratamento estatístico e correlação entre dados existentes publicados através de revisão de literatura atualizada. Concluiu-se que variáveis como: sexo, idade, escolaridade, idade, modo de entrada de casos novos, grau de incapacidade física no momento do diagnóstico e forma operacional corroboram com os dados notificados no Estado de Santa Catarina e pelo Ministério da Saúde e que o coeficiente de prevalência de hanseníase encontra-se abaixo dos valores notificados em nível nacional e estadual. Sabemos que é de extrema importância para que haja a manutenção de índices abaixo dos propostos pela OMS que haja um trabalho de divulgação da hanseníase assim como a necessidade de um programa de educação médica continuada para que seja realizado o diagnóstico de forma precoce da hanseníase, seguido do rastreio de contatos a fim de minimizar os graus de incapacidade física ao diagnóstico.

Palavras-chave


dermatologia; hanseníase; epidemiologia



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC