Diagnóstico e Prognóstico de Câncer de Mama

Taymara Raizer

Resumo


O estudo trata de uma revisão de literatura sobre o câncer de mama, segundo tipo mais frequente no mundo. É o câncer mais comum entre as mulheres, respondendo a 22% dos casos novos a cada ano. No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. O objetivo desta revisão é apresentar os sintomas de câncer de mama seu diagnóstico e prognóstico, pois suas maiores complicações são pelo diagnóstico tardio. A metodologia utilizada na revisão foi pesquisa em livros clássicos de ginecologia e mastologia e periódicos científicos da área de mastologia onde utilizou-se como palavras-chave câncer, mama e mulher, constituindo a amostra de seis fontes bibliográficas e surgiu durante o acompanhamento de um profissional médico ginecologista e obstetra na prática da unidade educacional eletivo do 4º ano de medicina durante o mês de julho de 2014. O câncer de mama pode apresentar vários sinais e sintomas dentre eles nódulo endurecido, abaulamento de uma parte da mama, edema, eritema, inversão do mamilo, sensação de massa em uma das mamas, sensação de nódulo na axila, espessamento ou retração da pele ou do mamilo, secreção sanguinolenta ou serosa pelo mamilo(ZUGAIB,2007).Os procedimentos básicos no rastreamento e diagnóstico do câncer de mama são - o auto-exame das mamas que deve ser feito pelo menos um vez por mês aproximadamente 7 dias após a menstruacão; o exame clínico da mama realizado por médico avaliando tamanho, textura mobilidade, presença de nódulos; a mamografia que consegue detectar tumores antes mesmo deles se tornarem palpáveis; a ultrassonografia; o exame histopatológico que é a biopsia e estuda um fragmento de tecido avaliando sua composição; o exame anatomopatológico que é a avaliação microscópica do material que vai dizer se há presença ou não de células cancerígenas(OLIVEIRA,2006). Com estes exames é possível identificar um tumor em fase inicial em que sua porcentagem de cura é muito superior se comparado a um tumor em estagio avançado, pois se diagnosticado e tratado rapidamente, o prognóstico é relativamente bom. A avaliação precoce de uma paciente com sinais e sintomas sugestivos de câncer de mama pode melhorar muito seu prognóstico(GODINHO,2004).Estudos têm evidenciado que o diagnóstico e o tratamento precoce do câncer de mama podem reduzir mortalidade específica. Da mesma forma, atrasos de três a seis meses entre o sintoma inicial e o tratamento adjuvante estão claramente associados com a diminuição da taxa de sobrevivência das pacientes. Atrasos de seis a 12 meses no diagnóstico de câncer de mama assintomático estão associados com a progressão da doença, determinados pelo aumento do risco de metástase linfonodal e maior tamanho do tumor(FREITAS,2006). No entanto, há estudos que observaram que atrasos maiores que 60 dias entre a detecção do primeiro sintoma pelo médico e o diagnóstico definitivo não afetam o prognóstico da paciente com câncer de mama. Por isso a importância de conscientizar, ensinar as mulheres a fazer o auto-exame e desta ter acesso rápido e fácil ao médico quando notar alguma alteração.

Palavras-chave


câncer;mama; diagnóstico



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC