Qualidade de vida, autonomia funcional e nível de atividade física de idosos da cidade de correia pinto

Alan Christhian Bahr

Resumo


O idoso representa um segmento da população que cresce rapidamente e é crucial compreender os fatores que podem modificar e aprimorar a qualidade de vida. A capacidade funcional para realizar as atividades mais comuns e específicas da vida diária tem sido alvo de preocupação internacional e, recentemente, tem evocado interesse nacional crescente. Na Serra Catarinense no estado de Santa Catarina não existe nenhum estudo demonstrando as características da aptidão funcional, o nível de atividade física e qualidade de vida de idosos residentes nesta região, portanto, é fundamental conhecermos o estilo de vida desta população para buscarmos junto com os órgãos de saúde dos municípios formas de evitar, minimizar ou até reverter a maioria dos declínios físicos, sociais e psicológicos que, frequentemente, acompanham o idoso.
Objetivos: O estudo proposto teve por principal objetivo estabelecer características físicas, neuromotoras e a percepção da qualidade de vida de idosos que frequentam regularmente Instituição Comunitária Ema Sevei. Essas características físicas e neuromotoras foram descritas através da avaliação da capacidade funcional, juntamente com testes motores, sua classificação quanto ao nível de atividade física e a determinação do nível de qualidade de vida.
Metodologia: No seguinte estudo foram avaliados 25 idosos com idade entre 60 e 80 anos, que frequentam regularmente a Instituição Ema Sevei, no município de Correia Pinto- SC. A Aptidão Funcional, será avaliado através da bateria de teste AAHPERD, a atividade física com a utilização do questionário IPAQ, e qualidade de vida com o questionário WHOQOL-OLD.
Resultados: Na bateria de testes os idosos apresentaram 388,8 no Índice de Aptidão Funcional Geral (IAFG) com a soma dos escores-percentis, sendo este valor caracterizado como “Bom” nos testes motores. Na população avaliada o escore geral (Qvg-old) foi de 13,7 demonstrando que os voluntários desta pesquisa apresentam uma alta qualidade de vida. Com a relação à atividade física observou-se um maior índice nas atividades moderadas, havendo pouco publico de idosos que pratique atividades vigorosas.
Considerações finais: Concluímos no seguinte estudo realizado no município de Correia Pinto- SC, que os idosos possuem o Índice de Aptidão Funcional Geral (IAFG) “Bom” caracterizando os idosos como ativo em suas atividades de vida diária, pelo contrario a qualidade de vida teve valores abaixo comparando a outros grupos de estudos, já que os mesmos não possuem programas de exercícios físicos e acompanhamento profissional, como: psicólogos, fisioterapeutas, educadores físicos e médicos, para a terceira idade. Com a relação à atividade física observou-se um maior índice nas atividades moderadas, havendo pouco publico de idosos que pratique atividades vigorosas.

Palavras-chave


Idoso; Qualidade de Vida; Autonomia Funcional



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC