DIÃLOGO ENTRE DIREITO E PSICOLOGIA

Aline Elise Debiazi Vargas Longo, Tatiane Muniz Barbosa, Amanda Waltrick Ferreira, Débora Lara Esmelindro Ramos

Resumo


Este trabalho apresenta um resumo do Relatório de Estágio Curricular Obrigatório, com destaque para a (Trata-se de) situação vivenciada durante a prática (de estágio) profissional realizada no Escritório Modelo de Assistência Jurídica – EMAJ do Curso de Direito da UNIPLAC. Esta experiência revelou a necessidade de ampliar o atendimento aos que procuram o EMAJ, principalmente, no que se refere às relações familiares. Tal situação (na qual restou) ficou evidenciada, pela Estagiária juntamente com sua Professora Orientadora, a necessidade de unir o Direito à Psicologia, visando o bem-estar das partes envolvidas em determinados processos judiciais. O atendimento inicialmente visou regularizar a guarda de uma criança com nove anos de idade pela (sua) avó materna, vez que está sob os seus cuidados desde tenra idade. O genitor, ao ser executado por dívida alimentar ingressou com Ação Negatória de Paternidade, objetivando a realização do exame de DNA. (Contudo,) O referido exame obteve resultado negativo. Tendo em vista a necessidade de prestar a informação à cliente, a Estagiária encontrou-se em situação bastante delicada, qual seja, revelar à avó materna e guardiã, que o homem que acreditava ser o pai do menino, em realidade não era (é seu genitor). E mais, necessário orientar a avó ou a mãe biológica quanto à forma mais adequado para dar a notícia ao infante. Esta revelação tornou-se por demais complexa para ser tratada apenas pelo viés jurídico e em razão da circunstância não ser rotineira, adveio a frustração, diante da ausência de ferramentas no campo jurídico para efetivar o adequado repasse da informação. Diante do fato (Em conseqüência), tornou-se (cristalina a necessidade) indispensável ampliar o conhecimento sobre como lidar com situações que implicam em envolvimentos familiares, optou-se por convidar especialistas da área de Psicologia para a devida intervenção. Através de trabalho interdisciplinar (obteve-se) criou-se as condições adequadas para a solução (para) do problema, que era basicamente identificar (ndo) a forma exata de revelar o resultado do laudo pericial à avó e guardiã e à mãe, mas ( e )principalmente, como e quem deveria levar a informação à criança. Todo o acompanhamento, realizado de forma interdisciplinar neste caso, visa evitar possíveis reflexos negativos na convivência da vida familiar. Enfim, a busca do diálogo com a Psicologia, que detém conhecimento acerca do ser humano, suas relações, questões comportamentais e formas de agir, na resolução de uma situação jurídica complexa, trouxe ao Direito a certeza de estar prestando atendimento jurídico humanizado.

Palavras-chave


Direito; Psicologia; Exame de DNA; Interdisciplinariedade.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC