Protótipo de um Sistema para Detecção de Neuropatia Autonômica em Pacientes Diabéticos

Rodrigo Tavares Scopel, Daiana Petry Leite

Resumo


O DM (Diabetes Mellitus) é uma doença que altera o metabolismo e caracteriza-se por um aumento anormal do açúcar no sangue. Uma das complicações presentes no DM é a NA (Neuropatia Autonômica), que afeta o SNA (Sistema Nervoso Autônomo). De acordo com Schmid (2007) a NA inicia com a degeneração de fibras nervosas do ramo simpático e parassimpático, provocando efeitos nos sistemas cardiovascular, gastrointestinal, geniturinário, sudomotor, metabólico e visual. A dificuldade de acesso a softwares que auxiliam nos diagnósticos de disfunções do SNA, devido a sua complexidade de implementação e/ou custo, é um dos problemas enfrentados por alunos, professores e pesquisadores atuantes na área médica. Isto causa dificuldades durante estudos e pesquisas que necessitam de diagnósticos antecipados para encontrarem resultados válidos. A proposta deste trabalho é desenvolver uma ferramenta computacional utilizando técnicas de IA, a fim de auxiliar alunos, professores e pesquisadores no diagnóstico de disfunções do SNA, podendo agilizar pesquisas realizadas na área médica. Seguindo as seguintes etapas: (a)Identificar e mostrar os efeitos da NA em pacientes diabéticos;(b) Apresentar tipos de RNA que possam ser aplicadas sobre os efeitos da NA estudados;(c) Implementar uma RNA que auxilie no diagnóstico da NA. Primeiramente foi realizado um levantamento bibliográfico a fim de analisar o DM especificando as causas da NA. A seguir foram identificadas RNA que pudessem auxiliar na solução do problema proposto. A partir dos estudos feitos foram escolhidas duas possíveis topologias para implementação da RNA. A primeira escolhida foi a topologia MLP (Multi Layer Perceptron) pela facilidade de implementação e capacidade de resolver problemas diversos. A segunda topologia escolhida foi a topologia SOM (Self-Organizing Maps), devido a sua característica de agrupamento de padrões. Após implementação e treinamento para o objetivo proposto, a rede foi testada através de um estudo de caso que conta com sinais coletados anteriormente e já avaliados, a fim de observar os resultados e realizar as correções conforme necessário. Não foram encontrados resultados confiáveis devido a grande aproximação de valores das variáveis utilizadas para os primeiros testes realizados. Com este novo problema, surgiu a necessidade de encontrar métodos que simplificam essas variáveis. A Análise Multivariada foi utilizada nesta etapa tendo em vista que este método tem os objetivos de redução de dados ou simplificação estrutural, ordenação e agrupamento, e a investigação de dependência entre as variáveis. Com a aplicação da Análise de Agrupamento, um dos métodos utilizados na Análise Multivariada, sobre as variáveis de testes, confirmou-se que algumas destas são muito semelhantes e devem ser omitidas para a realização dos próximos passos. Tratando-se de um Trabalho de Curso em andamento, os resultados finais ainda não foram obtidos. As próximas etapas envolvem os testes das variáveis importantes sob as RNA implementadas, com a finalidade de verificar a capacidade destas redes na solução proposta. Para finalizar este trabalho será escrito um artigo científico.

Palavras-chave


Redes Neurais Artificiais; MLP; SOM; Diabetes; Neuropatia



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC