EXAME DE GLICEMIA CAPILAR: INFLUÊNCIA DO LOCAL DE REALIZAÇÃO DO EXAME SOBRE OS NÃVEIS GLICÊMICOS

Cleiton Jonei Reginatto, Ana Paula Bornhausen, Alisson Roberto Castanho, Marcio Petenusso

Resumo


Introdução: O exame de glicemia capilar é um método importante para o controle do Diabetes Mellitus, pois possibilita ao portador deste distúrbio metabólico crônico identificar as variações dos seus níveis glicêmicos. No Brasil, existem poucos estudos acerca de locais alternativos para a realização deste exame e a influência da antissepsia de pele sobre os níveis glicêmicos, o que se tornou motivação para o desenvolvimento deste estudo. Objetivos: Analisar se a antissepsia de pele e o local de realização interferem sobre o resultado deste exame e avaliar se a intensidade da dor varia com o local da punção. Metodologia: Trata-se de um estudo experimental, analítico, com abordagem quantitativa, que foi realizado em uma Unidade de Saúde da família (USF) do município de Lages SC. Fizeram parte deste uma população de 60 pacientes portadores de Diabetes mellitus (DM) que concordaram em participar deste estudo e assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido, respeitando a resolução 196/96. Foram incluídos no estudo, indivíduos com diagnóstico clínico de DM I e DM II que procuram esta USF para realizar monitoramento da glicemia através do exame de glicemia capilar/hemoglicoteste. Em 30 destes foi realizada anti-sepsia prévia à punção e nos 30 restantes não (grupo controle). Foram excluídos deste estudo todos os pacientes que apresentaram neuropatia periférica, amputação do membro superior direito, que não possuíam a orelha direita e que tinham níveis glicêmicos inferior a 10mg/dl ou superior a 600mg/dl (limite de leitura do aparelho de glicemia capilar). A coleta de dados foi realizada entre os meses de maio e agosto de 2013. Os dados foram registrados em uma ficha de registro dos níveis glicêmicos e intensidade da dor. A mensuração da glicemia capilar foi realizada com o glicosímetro G-TECH Free 1®, o qual foi mantido sob monitoramento da acurácia de acordo com seu manual de instrução. A punção foi realizada, simultaneamente, na polpa digital do 3º dedo da mão direita e na porção inferior do lóbulo da orelha direita. Já, para avaliar a intensidade da dor durante a punção foi utilizada a Numeric Rating Scale, que gradua a intensidade da dor de 1 a 10. O paciente esteve ciente do risco do surgimento de calosidades, inflamação, sensação dolorosa e possível infecção no local de realização da punção. A pesquisa pôde ser encerrada a qualquer momento pelo coordenador da instituição ou quando for obtida a amostra proposta. Resultados: Os dados encontrados sugerem que a intensidade da dor pode ser menor no lóbulo da orelha e que pode não haver influência significativa da antissepsia de pele sobre os níveis glicêmicos. Conclusão: Estes dados deverão ser confirmados por estudos com populações maiores, para que o lóbulo da orelha possa ser utilizado como local alternativo de punção.

Palavras-chave


Automonitorização da glicemia; Exame de glicemia capilar; Diabetes mellitus



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC