DIARREIA COMO IMPORTANTE MARCADOR DA SÃNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA(AIDS).

Eduardo Campagnaro

Resumo


Revisão bibliográfica produzida a partir da experiência vivenciada durante a prática da Unidade Educacional Eletivo do curso de medicina da UNIPLAC, na área de clínica médica, do Hospital Santa Isabel, Blumenau – Santa Catarina. O presente trabalho visa levantar dados bibliográficos sobre a relevância da diarreia como importante marcador de progressão da doença em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida(AIDS). O método utilizado implica no cruzamento das informações das diferentes etiologias da diarreia em pacientes com AIDS. A presença de quadros diarreicos crônicos nos portadores do vírus da imunodeficiência humana(HIV) e nos doentes de AIDS impacta negativamente na qualidade de vida destes e também parece estar associado a menor sobrevida. A origem da diarreia no paciente com AIDS é multifatorial envolvendo desde patógenos prevalentes, interações medicamentosas por uso de terapia antirretroviral(TARV), enteropatia pelo próprio HIV como resultado de profunda imunossupressão, ou ainda a ser considerada idiopática. Sintomas de má absorção intestinal, perda de peso, desenvolvimento de doenças oportunistas e doenças malignas do intestino são favorecidas em pacientes com infecção pelo HIV em decorrência da presença de alterações histológicas, falência progressiva das funções fisiológicas e imunológicas do trato gastrointestinal. Sinais e sintomas como febre, desidratação, náuseas, presença de muco ou sangue nas fezes podem interagir entre si ou inexistir em pacientes HIV positivo com quadro diarreico. Os resultados revelados pelo estudo apontam a relevância em realizar um diagnóstico adequado do agente causador da diarreia no intuito de direcionar corretamente o tratamento. A literatura aponta a diversificação etiológica, suas interações e a dificuldade em apontar o agente causador por sinais, sintomas e exames laboratoriais. A prevalência de parasitas intestinais como o protozoário Cryptosporidium em países da America Latina e Ãfrica sugere, inicialmente, a conduta adotada pelos profissionais de saúde, entretanto é necessário cuidado especial na prescrição medicamentosa sob pena de agravar o estado de saúde do paciente. Apesar dos antirretrovirais poderem levar ao quadro diarreico, muitas patologias permanecem incuráveis sem a reconstituição imune oferecida por esses medicamentos, por isto esses devem ser descontinuados somente em último caso.

Palavras-chave


Síndrome da Imunodeficiência Humana; HIV; Diarréia



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC