LINHA DE CUIDADO PARA O AVC UM OLHAR DE ACOLHIMENTO E DE GESTÃO DO RISCO- O RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

Camila Brugnago, Tatiane Martins, Evanildo Ricardo da Silva

Resumo


O presente estudo é um relato de experiência que teve como objetivodiscutir com as equipes de Estratégia de Saúde da família, utilizando aeducação permanente como estratégia para o diagnóstico e o planejamento dasações de saúde no território. A discussão da Linha de Cuidado abordou o tema Acidente Vascular Cerebral, que se deu pelas altas taxas demorbi-mortalidade do AVC no país e na região da Serra Catarinense. Este estudofoi realizado em uma Unidade Básica de saúde do município de Lages no ano de 2013,contou com a participação das equipes de estratégia Saúde da Famílialocal, sendo Médicos, enfermeiros, Técnicos em Enfermagem, Agentes Comunitáriosde Saúde e Técnicos em Higiene Dental. Cabe destacar que a atenção primáriaserá a responsável por organizar o fluxo ordenador desta rede, neste sentidotrazer essa discussão para Unidade de Saúde, tornou-se uma ação pró-ativa, aoconsiderar que recentemente a Região da Serra Catarinense apresentou e aprovoujunto a Secretaria de Estado da Saúde e o Ministério da Saúde o Plano de AçãoRegional da RUE. Mas efetivamente, o que cabe as Unidades Básicas e as equipesda Estratégia Saúde da Família. Para argumentar esta prática assistencial, osproponentes se fundamentaram na portaria 2488 de 21 de outubro de 2011, queregulamenta a atuação dos profissionais da ESF, frente a assistência prestadanas situações de urgência e emergência nas unidades básicas, e institui a salade observação considerando a UBS como componente da RUE. Vale destacar ainda oPrograma de Melhoria da Qualidade e do Acesso na Atenção Básica(PMAQ) quedurante o processo de avaliação externa do programa pontua positivamente se aUBS dispõe de materiais e equipamentos necessários para assistir usuárioscrônicos agudizados que encontram-se nesta porta de entrada e necessitam de umacesso com qualidade e cuidado integral. Esta linha de cuidado éconsiderada como uma inovação tecnológica da RUE, e a região da SerraCatarinense tem uma situação bastante instigante e desafiadora. Enquanto oregistro da mortalidade do AVC no país foi de 108 casos por 100 mil habitantesesta região apresentou no ano de 2012, 136 casos de óbitos por doençascerebrovasculares. A proposta metodológica abordou a discussão entre asequipes sobre a implantação do acolhimento com classificação de risco comvistas a construção da linha do cuidado ao pacientes com AVC , que transcorreua partir de reuniões temáticas, pesquisa bibliográfica e reflexões aprofundadasdas proponentes e da equipe de profissionais da estratégia saúde da família domunicípio de Lages. Destaca-se que ,para as equipes de ESF os momentos deeducação permanente se constituíram como ferramenta valiosa para a formaçãoprofissional, sendo que, esta nova política de Redes de Atenção é consideradacomo um dos principais indicadores de resultado que contribuemsignificativamente para a reflexão dosprocessos de trabalho e da produção de cuidado com vistas a melhoria daqualidade da assistência prestada aos usuários.

Palavras-chave


Cuidado, Acidente Vascular Cerebra,Acolhimento, Classificação de Risco.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC