Hipertensão portal: uma síndrome de causas variadas.

Juliana Malluta Caldas

Resumo


Este trabalho é um estudode dois casos vistos no estágio curricular para graduação no quarto ano demedicina da Universidade do Planalto Catarinense que teve como tema ClínicaMédica e foi realizado Médica no Hospital e Maternidade Marieta KonderBornhausen em Itajaí, SC, pela acadêmica autora deste relatório Juliana MallutaCaldas. Durante as atividades de meu cenário eletivo do ano de 2013, acompanheidois casos de hipertensão portal. Hipertensão portal é a resistência aumentadaao fluxo sanguíneo portal, a qual pode ter origem pré-hepática como ocorre naesplenomegalia, intra-hepática como ocorre na cirrose ou ainda pós-hepáticacomo na insuficiência cardíaca direita grave. O objetivo deste estudo foi odiagnóstico etiológico das causas de hipertensão portal em ambos casos citados.Os métodos utilizados foram o exame clínico e os exames complementares. Osresultados foram que um dos casos de hipertensão portal era de origemintra-hepática devido à cirrose hepática alcoólica e o outro de origempré-hepática devido à neoplasia de pâncreas. A conclusão foi que na hipertensãoportal assim como em outras síndromes, os exames complementares apresentamdiferentes graus de importância em cada caso, podendo ser utilizados apenaspara confirmação do diagnóstico etiológico e para estadiamento de doença assimcomo podem se revelar indispensáveis a este diagnóstico. A cirrose pode ser oestágio final de diversas doenças hepáticas e se caracteriza por uma fibrosedifusa e conversão do parênquima hepático normal em nódulos estruturalmenteanormais. No paciente com cirrose hepática alcoólica, o diagnóstico foi defácil compreensão após uma anamnese completa, pois sua doença hepáticaalcoólica era conhecida e os exames complementares foram utilizados apenas paraconfirmação e estadiamento da doença. Já a paciente com neoplasia de pâncreas foium caso de diagnóstico mais elaborado porque a mesma, além de negar hábitos etilistas,não apresentou icterícia obstrutiva. Este sinal ocorre na maioria dos casos decâncer de pâncreas e assim se faz muitas vezes guia para o raciocínio clínico,porém ele não ocorre em câncer de corpo e cauda do órgão. Sendo assim, osachados clínicos na paciente foram inespecíficos. Nela, os exames complementaresforam essenciais para o diagnóstico e posteriormente também para o estadiamentoda patologia.

Palavras-chave


Hipertensão portal; neoplasia de pâncreas; cirrose hepática alcoólica; doença hepática alcoólica.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC