Tomografia Computadorizada Volumétrica de Feixe Cônico: Vantagens na Intervenção Precoce de Três Dentes Supranumerários.

katia busato busato, Jefferson Paes, Cesar Poletto, Renato Valiatti, Bruna Zanotto, Dandara Marcela Silva, Leonardo Manfroi Cordova, Rodrigo Schneider

Resumo


A presença de supranumerários ou hiperdontia carateriza-se pelo número de dentes acima da serie normal e sua identificação torna-se importante para evitar conseqüências ao paciente. Os supranumerários aparecem geralmente na dentição permanente e surgem na região central da maxila, entre os incisivos superiores. São classificados como suplementares ou rudimentares, anatomicamente possuem raiz curta e coroa de forma conóide ou bojo. Podem apresentar-se únicos ou aos pares, estar posição normal de erupção ou equitópica, invertidos ou inclusos no osso. Em relação à prevalência a literatura mostra uma variação de 0.15% a 3.8%, nas diferentes populações, com maior incidência no gênero masculino. As teorias que explicam esta condição são a hiperatividade da lâmina dentária, o atavismo, dicotomia do botão dental fatores genético-moleculares ou manifestam-se em algumas síndromes BAILLEUL-FORESTIER et al. (2008), CANDEIRO et al. (2009), KUMAR et al. (2012). As desordens que provocam variam desde alteração estética e da oclusão, retenção de incisivos, pressão ou inflamação local, reabsorções dentárias e podem estar associados ou provocar cistos e tumores locais, sendo o tratamento cirúrgico indicado para estes dentes, MOHAN et al. (2013). A hiperdontia de um único dente representa 76-86% dos casos, de dois dentes 12-23% e de três dentes ou mais menos de 1% dos casos RALLAN et al. (2013). Metodologia: o trabalho reporta um caso atípico de três dentes supranumerários (um erupcionado e dois inclusos) diagnosticados em uma criança atendida na Clínica Infantil da UNIPLAC. Para diagnóstico foi empregado a tomografia Computadorizada volumétrica Cone Bean, por fornecer imagens de patologias nas três dimensões MAH et al. (2011), YOU et al.(2011) e por ser considerado uma evolução dos atuais recursos radiográficos. O procedimento cirúrgico foi realizado sob anestesia geral para maior conforto do paciente. A autorização para a cirurgia, uso de imagens e documentos para elaboração do trabalho foi obtido por meio de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido do responsável. Resultados: analisadas as imagens e pode-se concluir que a tomografia mostrou-se como excelente recurso de diagnóstico na odontologia, por definir com precisão e nitidez a localização dos dentes e ser guia para o planejamento da cirurgia; a intervenção precoce beneficiou o desenvolvimento normal da dentição devolvendo a auto-estima para o convívio social do paciente. Eixo temático: Ãrea da Saúde. Título do trabalho: Tomografia Computadorizada Volumétrica de Feixe Cônico: Vantagens na Intervenção Precoce de Três Dentes Supranumerários. Introdução (Visão geral sobre o tema estudado e relevância do trabalho): Dentes supranumerários são considerados anomalias dentárias comuns e bem documentadas na literatura, com maior incidência na maxila do que na mandíbula, mais frequentes em pacientes do sexo masculino CANDEIRO et al. (2009), COELHO et al. (2011). São chamados mesiodens, quando erupcionam entre os incisivos centrais superiores e devido a complicações funcionais e estéticas que provocam, o tratamento indicado é a remoção cirúrgica precoce, justificada para prevenir a instalação de maloclusões. As radiografias de rotina são empregadas como recursos de diagnóstico radiográfico, somente destacam a imagem em um único plano, o que restringe a visualização das patologias dentárias. Recentemente, uma nova geração de tomógrafos computadorizados com tecnologia 3D foi desenvolvido, especialmente para a area maxillofacial. Isso implica em mudanças em relação aos atuais meios de diagnóstico que são limitados. Esse sistema é conhecido como Tomografia Computadorizada Volumétrica de Feixe Cônico, como o próprio nome sugere, é uma técnica revolucionária de obtenção de imagem que utiliza um feixe cônico de radiação (Cone Beam) associado a um receptor de imagens bidimensional. Nesta técnica, o conjunto fonte de raios X e receptor de imagens gira 360º uma única vez em torno da região de interesse favorecendo a visualização das patologiasnas três dimensões, MAH et al. (2011), YOU et al.(2011). Para área da saúde destaca-se o emprego deste exame para guiar o planejamento e ato cirurgico. No caso da cirurgia dos 3 dentes supranumerários, a tomografia foi relevante recurso empregado, obtendo-se resultados satisfatórios destacados pela qualidade das imagens e a cirurgia dos dentes propiciou ao paciente a condição de normalidade para erupcão dentária e dos aspectos estéticos e funcionais MOHAN et al. (2013).

Palavras-chave


Mesiodens; radiologia; cirurgia



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC