AGENDA 21 COMO POLÃTICA PÚBLICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE VACARIA – RS: APRENDER O LOCAL PARA PENSAR O GLOBAL

Carolina Moretti Berto, Lucia Ceccato de Lima

Resumo


A necessidade de repensar nossas atitudes em relação à natureza é indispensável diante dos problemas ambientais globais que a humanidade vem enfrentando, e a educação ambiental caracteriza-se como um importante instrumento de tomada de consciência ecológica, e uma alternativa para o enfrentamento da crise civilizatória da modernidade. É necessário construir uma cultura ecológica que compreenda natureza e sociedade como dimensões interligadas. O meio ambiente como política pública surge, portanto, em um cenário de transformação da sociedade e da necessidade de uma nova racionalidade que abranja a crise ambiental, o que desafia o Estado a criar procedimentos que conduzam a essas mudanças. Uma dessas iniciativas é a elaboração da Agenda 21 Escolar, que engloba todos os pilares do desenvolvimento sustentável e a adoção, por parte da comunidade, de diretrizes que guiem a sustentabilidade do espaço escolar. Porém, algumas escolas acabam por não aproveitar todas as potencialidades que a construção de tal documento oferece. A pesquisa se propõe a avaliar e compreender a construção da Agenda 21 nas Escolas Municipais urbanas de Vacaria – RS, a fim de compreender se tal procedimento reflete as políticas públicas de educação ambiental do município, além de apontar desafios, dificuldades e potencialidades de tal construção na educação ambiental. A existência de poucos trabalhos na área, além da necessidade de aprimorar as políticas públicas na educação ambiental justificam a relevância de tal pesquisa.

Palavras-chave


Agenda 21. Políticas Públicas de Educação Ambiental. Rede Municipal de Ensino de Vacaria.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC