PROCESSO DE GERAÇÃO DE CÓDIGO EM JAVA A PARTIR DE UM DIAGRAMA DE CLASSES

MARIANA CARDOSO DE BEM CASTELLO BRANCO

Resumo


Este trabalho trata da geração de código orientado a objetos em Java a partir de um
diagrama de classes. Ele apresenta um breve estudo sobre as ferramentas CASE JUDE,
Enterprise Architect, Rational Rose, Umbrello UML Modeler, Argo UML e UML
Modeling para NetBeans, descrevendo suas principais características, com o objetivo
de ressaltar as semelhanças e diferenças existentes entre as ferramentas mais usadas
atualmente. Além disto, detalha como deve ser desenvolvido o código em Java a partir
de um diagrama de classes, visando explicar como cada conceito do diagrama deve ser
representado na linguagem Java. De posse deste conhecimento é possível verificar a
consistência dos códigos gerados automaticamente pelas ferramentas, que é o objetivo
central deste trabalho. Para isto, foram desenvolvidos dois diagramas de classes sobre
um mesmo contexto, um laboratório de exames clínicos. O primeiro diagrama mostra
conceitos mais simples, como classes, atributos e métodos, e o segundo conceitos mais
complexos, como herança, interface e polimorfismo. Partindo dos diagramas, o código
foi gerado no Enterprise Architect para o primeiro exemplo e no Enterprise Architect e
no UML Modeling para NetBeans para o segundo exemplo. A escolha por estas duas
ferramentas deve-se ao fato delas representarem situações bem distintas: enquanto a
primeira é proprietária e visa exclusivamente à modelagem - não está diretamente
integrada a nenhum ambiente de programação - a segunda é uma ferramenta livre e
integrada ao NetBeans IDE, que consiste em uma das ferramentas mais usadas no
desenvolvimento Java. Os códigos gerados nas duas ferramentas foram analisados e
incluídos em um projeto no NetBeans para serem compilados, com o intuito de
verificar se eles estavam corretos e completos. A partir da análise dos códigos gerados
pelas duas ferramentas verificou-se a existência de problemas, pois ambas falharam
em alguns pontos da geração. Ressalta-se como principal problema a não criação de
métodos para manipular as associações entre classes. Isto leva à conclusão que as
ferramentas CASE são úteis para agilizar o trabalho de codificação, mas ainda não são
capazes de realizar integralmente o trabalho, sem a intervenção de um programador.

Palavras-chave


Programação Orientada a Objetos; Geração Automática de Código; Java.

Texto completo:

Sem título