HÉRNIA DE DISCO CERVICAL CAUSAS E FISIOPATOLOGIA

Rafael Ramiro

Resumo


O presente relato apresenta uma revisão de literatura que visa esclarecer e aprimorar o conhecimento sobre Hérnias de disco cervical, suas causas e tratamentos. A hérnia de disco cervical é uma patologia muito frequente, devido ao esforço ou desgaste que ocasionam na coluna vertebral. Esse desgaste causa compressões na medula e levam ao comprometimento de sua raiz nervosa. O objetivo principal é apresentar essa patologia descrever sua fisiopatologia, quadro clinico, tratamentos conservadores e cirúrgicos. A metodologia utilizada para a revisão foi a pesquisa em 9 livros clássicos e 2 periódicos científicos onde se utilizaram as palavras chave Hérnia de disco, Coluna cervical, neuroanatomia, neurocirurgia. O estudo foi originado a partir de uma experiência acadêmica na área de neurocirurgia e neurologia durante a Unidade Educacional Eletivo do Curso de Medicina, durante o mês de agosto/2015. Com a evolução do homem, as dores na coluna vêm surgindo com frequência em pessoas cada vez mais jovens. Isso ocorre devido à diminuição da atividade corporal, a má alimentação que como consequência surge à obesidade que pode modificar a instabilidade do corpo, o tempo prolongado do uso de computador gera a má postura, são exemplos de sedentarismo, aumentado o risco de hérnias discais.A hérnia discal cervical aparece mais comumente pelo uso inadequado de movimentos que afetam as cargas impostas à coluna e suas distribuições (KAPANDJI, 2000; HALL, 2000). Outros fatores de risco são como causas ambientais, posturais, desequilíbrios musculares, uma possível influência genética, carregar peso, dirigir, fumar e o próprio envelhecimento natural (NEGRELLI, 2001). Cada vértebra está separada por um disco intervertebral que é o amortecedor da estrutura. Cada disco é composto de anel fibroso e núcleo pulposo. É nessa estrutura que ocorre um desgaste ou rompimento das fibras. Com a diminuição do processo de embebição, ocorre uma pressão nas fibras do disco vertebral, o núcleo perde propriedades e o amortecedor desidrata tornando-se susceptível a hérnia de disco, que pode ser definida como o extravasamento do núcleo pulposo do disco intervertebral, através do anel fibroso. O núcleo herniado migra em direção as raízes nervosas, levando a compressão, perda da função, quadro álgico, parestesias e espasmos.(Macêdo; Mejia, 2014). Conclui-se que a hérnia de disco cervical pode levar a um quadro de déficit funcional, por causa da dor e pela perda de função propriamente dita. E com a perspectiva de futuro essa patologia tende a estar mais frequente em nossa rotina, pois os hábitos de vida da população em geral vêm piorando, é necessária uma conscientização da população para hábitos de vida mais saudáveis

Palavras-chave: Hérnia de disco; Coluna cervical; neuroanatomia;neurocirurgia.

REFERENCIA

KAPANDJI, A. I. Fisiologia Articular 3 tronco e coluna vertebral. 5ª edição. Editora Guanaraba Koogan: Rio de Janeiro, 2000.

MACÊDO,G; MEJIA,D. Abordagem fisioterapêutica na hérnia de disco disponível em: http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/34/271_-_Abordagem_fisioterapYutica_na_hYrnia_de_disco.pdf Acesso em 04 de setembro de 2015

NEGRELLI, W. F. Hérnia discal: Procedimentos de tratamento. Acta ortop. bras. São Paulo, v. 9, n. 4, p. 39-45, out./dez. 2001.

Palavras-chave


Hérnia de disco, Coluna cervical, Neuroanatomia, Neurocirurgia.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC