Redes de Atenção à Saúde (RAS) Panorama e Desafios: A Percepção de Gestores, Profissionais e Usuários em um Município de Médio Porte de Santa Catarina

Audrilara Arruda Rodrigues Campos

Resumo


O estudo aborda a estruturação das Redes de Atenção a Saúde (RAS), haja vista a proposta de organização de serviços visando alcançar melhores práticas clínicas com mecanismos organizacionais mais eficientes. As RAS surgem como nova possibilidade no Sistema Único de Saúde (SUS), a partir da identificação da insuficiência do modelo de saúde vigente que não tem conseguido alcançar respostas resolutivas aos desafios sanitários: persistência de práticas de cunho curativas, centrados no médico, com fragmentação de ações e serviços, baixa eficiência na aplicação dos recursos, precarização e carência de profissionais alinhados com a politica publica e configuração inadequada de modelos de atenção, dentre outros. Uma vez que esta estratégia da estruturação das RAS é bastante recente esta pesquisa se torna relevante pela inexistência de pesquisas que evidenciem como está o processo de implantação das RAS nos diferentes contextos. Assim sendo, o estudo tem por objetivo analisar a percepção de gestores, profissionais e usuários da saúde sobre as Redes de Atenção à Saúde em um município de médio porte do interior do Estado de Santa Catarina. Busca-se ainda, verificar a visão de gestores e profissionais da saúde sobre como está a implantação, estruturação e organização das RAS; identificar as facilidades e dificuldades dos entrevistados para a estruturação das RAS; conhecer a compreensão dos entrevistados a cerca da sistemática de funcionamento da Atenção Básica e se estas atendem às reais necessidades da população nas RAS; verificar como se estabelece a articulação entre Atenção Primária à Saúde (APS) e os demais níveis de atenção a saúde; analisar os documentos e legislações acerca da rede de atenção a saúde e identificar em que aspectos a intersetorialidade está presente na rede de atenção a saúde. A pesquisa tem caráter interventivo exploratório, bibliográfico, de campo de natureza quali-qualitativa, pautado na perspectiva da hermenêutica-dialética O público-alvo serão os gestores e profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF), com uma amostra de 30% do total de Unidades Básica de Saúde (UBS) através de sorteio. O instrumento de coleta de dados a ser utilizado com gestores será a entrevista semiestruturada e com profissionais da ESF será a técnica de grupo focal. Participarão da pesquisa 10 usuários de cada local, sendo estes escolhidos de forma aleatória, em cada uma das UBS e demais serviços que compõem a rede. Analise dos dados acontecerá através da teoria da analise de conteúdo, seguindo a forma de decálogo. Quanto aos procedimentos éticos estes estarão em conformidade com a resolução 466/12 e apresentação do TCLE aos participantes da pesquisa, estando esta aprovada pelo CEP. Espera-se que esta pesquisa possa ampliar o campo da pesquisa acerca do tema; incentivar a reflexão dos profissionais; construção e consolidação das RAS, bem como fomentar a discussão acerca das formas de incrementar e/ou ampliar a resolutividade de um fluxo mais ordenado entre os diferentes serviços.

Palavras-chave


Saúde; Redes de Atenção a Saúde; Atenção Primária a Saúde; Reestruturação; Intersetorialidade



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC